Câmara de VereadoresDestaquePrefeitura

POLÍTICA. “Pacto por Santa Maria” encaminha vitória na eleição para a Mesa Diretora da Câmara em 2021

E Pozzobom diz que fará a articulação política com o Legislativo, no 2º mandato

Jorge Pozzobom participou do programa “Sala de Debate”, na TV Diário e Rádio Antena 1, nesta segunda-feira (foto Divulgação)

Por Claudemir Pereira

Duas observações feitas pelo Prefeito reeleito Jorge Pozzobom, ao meio dia desta segunda-feira, indicam o que acontecerá na sexta-feira, na primeira reunião ordinária da nova Legislatura e, também, ao longo do seu próximo mandato, a iniciar no mesmo dia.

Uma, dita após o programa “Sala de Debate”, na Rádio Antena 1 e na TV Diário, ancorada pelo acima assinado, deixa antever que, se há articulações (e há), não contam necessariamente com a participação dele. Até diz ter conversado com um ou outro vereador, mas nada além disso.

Logo, o próprio Pozzobom deixa claro já haver assimilação do resultado provável do pleito. Isto é, a escolha da chapa “Pacto por Santa Maria”, liderada pelo pepista João Ricardo Vargas, para dirigir o parlamento em 2021.

Disse o prefeito duvidar que projetos de interesse da cidade não sejam votados. Essa situação já houve no primeiro mandato e os parlamentares sempre agiram em favor de Santa Maria. E também deixou clara sua posição de, se participasse do processo e eventualmente vencesse, “teria o rancor de até 10 vereadores e isso não seria bom para a Prefeitura nem para a cidade”.

Aí chega-se à outra observação feita por Jorge Pozzobom. Esta foi dita durante o programa. Reconheceu Pozzobom a sua dificuldade, nos primeiros quatro anos, de articulação com os vereadores. E decidiu que esse trabalho será feito, agora, por ele próprio. “Ninguém melhor que o prefeito, que aliás começou sua vida como vereador”, para fazer essa articulação. Essa é uma novidade e tanto. Que se conferirá já a partir do inicio do ano.

Se desejar assistir ao programa Sala de Debate desta segunda-feira, ao meio dia, clique abaixo:  

CURIOSIDADE: o prefeito Jorge Pozzobom se sentiu particularmente feliz com a participação no programa. E a razão é uma só: ele, como destacou bem no início, foi aluno de todos os cinco participantes do “Sala de Debate”: Walter Jobim Neto, Elvandir Costa, Alfeu Bisaque, Sandro Meinerz e Luiz Ernani Araujo.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

2 Comentários

  1. Sinceramente, não acredito muito nesta tal de articulação política do senhor prefeito reeleito; mas; posso estar errado, e afinal queimar a língua, tomara.

  2. Acredite em Cladistone, o indigesto, quem quiser, logo este papo de ‘não se envolver’ até prova em contrário é prosopopeia para acalentar bovinos. Casarão não tem muita coisa que votar de qualquer maneira. Alás, na revisão do plano diretor até ônibus cheio de funcionários transitou na aldeia.
    Alás, Cladistone, o indigesto, por motivos não determinados colocou na Casa Civil no primeiro mandato alguém que nem a graduação tinha terminado e além disto não tinha experiência previa nenhuma. Se lembro bem, no minimo algum ruído na articulação politica saiu dali.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo