CampoDestaque

ESTADO. Verão inicia com risco de nova estiagem

Estação quente foi aberta oficialmente às 7 e 2 da manhã desta segunda-feira

Da redação do jornal Correio do Povo (com foto de Reprodução)

O verão começou, nesta segunda-feira, com risco de uma nova estiagem no Rio Grande do Sul. A estação teve início às 7h02min, no Hemisfério Sul, e, segundo a MetSul Meteorologia, chega sob a influência do fenômeno La Niña que, historicamente, tende a agravar o risco da seca no interior gaúcho. 

De acordo com a previsão, o verão de 2021 deve ter chuva irregular, comum da estação, mas com tendência de ter valores abaixo das médias históricas e déficit de precipitação em muitas áreas. Isso deve deixar o Estado sob um quadro de estiagem e de deficiência hídrica. Em algumas regiões, a estiagem pode atingir níveis de moderada a forte com possibilidade de ser severa em alguns municípios. 

Com isso, partes do Rio Grande do Sul devem voltar a enfrentar problemas de falta de chuva mais volumosa com perda de produtividade nas safras de verão, diminuição dos níveis dos rios, risco de escassez de água para consumo, além de risco de incêndios em vegetação e decretos de emergências por seca, apontou a MetSul. 

Conforme a MetSul, o Estado deve ter episódios pontuais de chuva volumosa a excessiva, de curta duração, e localizada, que devem ocorrer logo após dias muito quentes e úmidos. As regiões Norte, Leste e Nordeste têm maior propensão a estes temporais, sobretudo o Litoral Norte, que sofre maior influência das correntes de umidade que atuam nesta época do ano no Sudeste do Brasil e nos litorais de Santa Catarina e do Paraná. 

A previsão da MetSul ainda aponta que a Metade Norte do Estado e áreas mais próximas da costa devem receber mais chuva irregular que o Sul, o Centro, a Campanha e o Oeste, que devem ter risco de estiagem semelhante ao cenário de 2016, mas ainda assim podem sofrer com períodos secos. 

O calor se fará presente. A MetSul projeta que a estação deve ter temperaturas acima da média na maioria das cidades gaúchas, com máximas próximas ou até superando os 40ºC no Estado, provocando fortes ondas de calor neste verão. É provável que a influência do fenômeno La Niña possa trazer alguns dias de temperatura mais baixa no final da estação. 

Nas praias, o vento Nordestão se fará presente, mas os veranistas tendem a enfrentar menos dias com este vento forte, podendo desfrutar do tempo quente e do mar claro, projetou a MetSul. Por outro lado, em março, com o ingresso mais cedo do ar frio, a tendência é de aumento da frequência do vento Nordeste no litoral gaúcho.  

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo