Artigos

Quem mente sabe que mente – por Giuseppe Riesgo

O atual governo, opina o articulista, “vendeu sua honra para garantir receitas”

O Rei Pirro, do Epiro, na Grécia, ficou historicamente conhecido por suas vitórias extremamente custosas. Plutarco, o historiador e filósofo, revela que Pirro, após as vitórias contra os romanos nas batalhas de Heracleia e Ásculo, teria declarado a um indivíduo que comemorava o êxito nos confrontos que: “uma outra vitória como esta o arruinaria completamente”.

Podemos dizer que, ontem (terça), sem dúvidas, o governo teve a sua vitória de Pirro. Sem conseguir encaixar a (falaciosa) narrativa de que o aumento de impostos se tratava de uma reforma tributária moderna e inovadora, o governo teve que se dobrar ao PT para conseguir apoio para aumentar os impostos por, pelo menos, mais um ano. O acordo costurado com os petistas, supostamente garantiria recursos para a compra de vacinas para o coronavírus em troca de um tarifaço nas contas de luz, telecomunicações e na gasolina de todos os gaúchos. Uma desculpa esfarrapada e mentirosa, costurada na última hora, para convidar os gaúchos a novamente pagar a conta.

Assim, o atual governo vendeu a sua honra para garantir suas receitas. Se ajoelhou aos petistas e as suas demagogias com o delicado momento sanitário pelo qual passamos todos nós. A proposta é demagoga porque, tanto o PT como o governo, sabem que não há garantia alguma de que teremos recursos para a vacina caso, efetivamente, precisemos comprá-las. A proposta votada apenas aumentava o ICMS por mais um ano. Não há nenhuma vinculação legal de que esses recursos irão para um possível programa de vacinação estadual e, reitero, tanto o PT como o PSDB sabem muito bem disso.

O que tivemos ontem foi um espetáculo grotesco capitaneado pelo governo, pelos petistas e seus asseclas. De um lado, o velho e mentiroso Partido dos Trabalhadores, politizando e fazendo populismo com um assunto sério como a vacina contra o coronavírus. Do outro, um governo sem apoio da base e do povo, tentando salvar receitas para não ter que encarar as verdadeiras e efetivas reformas pelo lado da despesa. Do populismo à covardia, tucanos e petistas protagonizaram um espetáculo lastimável às custas de todos os cidadãos do Rio Grande do Sul.

No ano passado, em entrevista ao Jornal do Almoço, o Governador Eduardo Leite afirmou que “quem mente sabe que mente”. Ontem, o festival de mentiras e demagogia campeou solto pelo plenário da Assembleia Legislativa. Em 2021, os gaúchos seguirão pagando mais caro para abastecer, ligar o ar condicionado ou ainda navegar pela internet. Agradeçam aos petistas e aos tucanos que, de tanto mentir, já perderam a capacidade de discernir sobre o que é verdade, justiça e solidariedade na crise. Agradeçam a esse governo, que sabe que mente, e por isso já não representa o aguerrido e honrado povo gaúcho há muito tempo. De velhas em velhas façanhas a face de petistas e tucanos está cada vez mais parecida e povo gaúcho está cada vez mais ciente disso. 

(*) Giuseppe Riesgo é deputado estadual e cumpre seu primeiro mandato pelo partido Novo. Ele escreve no Site todas as quintas-feiras.

Observação do Editor: a foto que ilustra este artigo, do resultado final da votação da terça-feira, é de Joel Vargas, da Agência de Notícias da Assembleia Legislativa.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Só por perguntar….quantas vezes o articulista votou com o governo nesses 2 anos ? pelo que lembro era da base do governo e agora com um mandato pífio começa a se rebelar…conheço ao longo de minha vida muitos assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo