Destaque

CIDADE. Recomeça obra do Calçadão de Sta Maria

Executivo Municipal prevê que obra seja concluída em oito meses

Retirada de canteiros, floreiras, postes, lixeiras e outros equipamentos marcam início do trabalho. Foto João Alves / Prefeitura

Por Joyce Noronha / Prefeitura de Santa Maria

Em mais um compromisso assumido pela gestão do prefeito Jorge Pozzobom, a Prefeitura de Santa Maria começou, na manhã desta quarta-feira (13), a construção do novo Calçadão Salvador Isaia. O trabalho teve início com a retirada de canteiros, floreiras, postes de luz e lixeiras do espaço. Depois do desmonte, será feita a abertura do solo para a colocação das galerias pluviais, trabalho que será realizado pela empresa Urbanes Empreendimentos, de Santa Maria. A segunda fase, que compreende toda a parte visível da obra, ou seja, a reconstrução do local, será feita pela empresa De Marco, de Erechim.

A obra do novo Calçadão está orçada em R$ 2 milhões. Porém, por alteração feita no Plano Diretor de Desenvolvimento Territorial, em 2018, nenhum recurso sairá diretamente dos cofres públicos. A mudança no Plano Diretor permite o direcionamento de medidas compensatórias a empresas de grande porte que se instalam em Santa Maria. Assim, a Urbanes e a De Marco, que farão empreendimentos imobiliários na cidade, realizarão a obra do Calçadão como medida compensatória.

“Este serviço é um compromisso da Prefeitura com a comunidade santa-mariense e com a história do Município, porque o Calçadão faz parte do Centro Histórico da cidade. E não é reforma, mas, sim, a construção de um novo Calçadão”, salientou o prefeito Jorge Pozzobom, que esteve no Calçadão na manhã desta quarta para acompanhar o início dos trabalhos.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Inovação, Ewerton Falk, pontua que o desmonte do Calçadão é necessário para o andamento da obra. Contudo, destaca que, por segurança dos pedestres, o piso será concretado nos locais em que antes estavam os canteiros. A abertura do solo para a instalação das galerias será em módulos e começa pela região onde está localizada a Caixa Econômica Federal.

“Não vamos fechar o Calçadão todo, como planejado inicialmente. Vamos de parte em parte. Assim, uma parte vai ser fechada com tapumes, e o restante do Calçadão ficará aberto para que os pedestres transitem. Por isso, vamos concretar o piso, mas não quer dizer que o serviço estará pronto. É pela segurança de todos. Sabemos que obras causam transtornos, mas pedimos a compreensão de todos e que o foco seja no trabalho concluído, que será um benefício de muitos e muitos anos para Santa Maria”, explica Falk.

A previsão é de que a obra seja concluída em oito meses. De acordo com o planejamento, a Urbanes é responsável pela primeira parte da obra, que é no subsolo, e deve ser feita em cerca de três meses. A De Marco será responsável pela pavimentação e acabamento, com previsão para durar aproximadamente cinco meses.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo