DestaqueRegião

FORMIGUEIRO. Presidente do Legislativo tem apenas 19 anos. Ele planeja reduzir salários dos vereadores

Pablo Milani defende que parlamentares recebam o salário mínimo vigente

Plano Milani, o quarto da esquerda à direita, tomou posse na sexta (1º) e logo foi eleito presidente da Casa. Foto Divulgação

Por Maiquel Rosauro

O vereador mais jovem da história de Formigueiro será o presidente do Legislativo Municipal em 2021. Pablo Milani (MDB), 19 anos, tomou posse na sexta-feira (1º) e, no mesmo dia, foi eleito para o principal cargo do Parlamento. Seu principal objetivo é polêmico: reduzir o salário dos edis e, como consequência, fazer o Município economizar mais de R$ 700 mil a cada mandato.

Microempreendedor individual e acadêmico de Jornalismo na Universidade Franciscana (UFN), Milani relata que sempre gostou de acompanhar o cenário político, o que serviu de incentivo para atuar como assessor de imprensa na Prefeitura. Como já estava no meio, decidiu colocar seu nome à disposição para o pleito ao Legislativo. Logo na primeira eleição, obteve êxito, recebendo 186 votos.

“Quero trabalhar em cima da redução de gastos da Câmara. Tem vários contratos que vão ser renovados este ano e quero analisar muito bem se há necessidade ou não (de renovação)”, afirma Milani.

O jovem também pretende trabalhar com a redução de cargos de confiança (CCs).

“O presidente da Câmara tem a sua disposição seis CCs. Vou lutar para ter apenas quatro”.

Outra meta é instituir o turno único na Câmara, de modo que o Legislativo tenha atendimento no horário do meio-dia (o expediente atual é das 8h às 11h30min e das 13h30min às 17h). Segundo o presidente, esta medida facilitaria para as pessoas que trabalham pela manhã ou à tarde e não possuem tempo hábil para ir até a Casa do Povo. Ele também entende que esta prática ajudaria a diminuir custos, sobretudo, de energia elétrica.

Pablo Milani sabe que precisará de apoio e pressão popular para seu projeto mais ousado. Foto Divulgação

Também está nos planos do futuro jornalista criar a TV Câmara, para transmitir todas as sessões plenárias ao vivo pela internet, repaginar o site do Parlamento e criar uma fanpage para o Legislativo. Outra proposta é implantar o projeto Câmara na Rua, que consistirá em agendas para ouvir demandas da população.

“Sempre senti falta de um trabalho mais próximo dos vereadores com a comunidade, vendo o que está bom e o que pode melhorar. Este foi um dos motivos que me levaram a concorrer”, explica.

Milani acredita que o fato de ser presidente neste primeiro ano de mandato ajudará a colocar suas ideias em prática, uma vez que muitas delas poderão sair do papel a partir de Projetos de Resolução e, não necessariamente, por Projetos de Lei, cuja tramitação é mais demorada.

Todavia, sua proposta mais ousada, obrigatoriamente, terá que partir de um Projeto de Lei. Ele defende que o subsídio dos vereadores seja reduzido para o salário mínimo vigente. Já para o cargo de presidente, que possui responsabilidades mais elevadas, ele defende o valor de um salário mínimo e meio.

“O salário atual do vereador é de R$ 2.621,60 e do presidente R$ 3.932,41. Caso o vereador falte uma sessão ele desconta proporcionalmente. Parece pouco, mas seguindo essa lógica, o vereador recebe o equivalente a R$ 655,40 por sessão e o presidente R$ 983,10 por sessão”, explica.

Milani sabe que, caso deseje aprovar a lei, precisará de apoio e pressão popular. O Legislativo de Formigueiro possui nove vereadores.

“Infelizmente, não posso reduzir para a minha Legislatura. Tem que ser para a próxima. Se aprovado, vamos economizar R$ 700 mil por mandato para o Município”, defende.

Nesta segunda-feira (4), o jovem presidirá a primeira sessão ordinária do ano. Na pauta, está a composição das Comissões da Casa.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo