DestaqueEconomia

COMÉRCIO. Sem acordo, lojas só poderão abrir na segunda, feriado, com proprietários ou suas famílias

No aniversário de Santa Maria, comércio só abre sem mão de obra contratada

Por Guilherme Bicca / Da Assessoria de Imprensa do Sindilojas (com imagem Freepik)

Com o atual dissídio tendo finalizado junto com o mês de abril, cabe ao Sindilojas e Sindicato Laboral entrarem em consenso quanto ao funcionamento do comércio a cada feriado do calendário.

Com o 17 de maio, aniversário de Santa Maria, não foi diferente. Porém, sem acordo entre os sindicatos, o comércio não está liberado para abrir as portas na próxima segunda (17).

A exceção está nas empresas que desejam abrir com mão de obra proprietária (sócios proprietários e parentes em primeiro grau).

“O 17 de maio é um feriado em que tradicionalmente se consegue acordo para trabalhar. Principalmente por ser um feriado municipal. Mas este ano, excepcionalmente, os problemas de saúde do presidente do Sindicato Laboral, Rogério Reis, dificultaram as negociações. Temos que ser compreensíveis com o momento, que é delicado. E apostar que dias melhores virão, com acordos bem sucedidos em prol de quem quer e precisa trabalhar”, explica o presidente do Sindilojas Região Centro, Ademir José da Costa.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo