AssembleiaEstadoSaúde

COVID-19. Valdeci aprova na Comissão de Saúde realização de audiência para debater sobre vacina

Queda dos números da imunização é o mote para a discussão na Assembleia

Imunização: Valdeci Oliveira aprova realização de audiência para debater queda vacinal no Rio Grande do Sul (foto Reprodução/AL)

Da Assessoria de Imprensa do Parlamentar

A queda nos índices vacinais no Rio Grande do Sul estará no centro de um debate a ser realizado em audiência pública pela Comissão de Saúde e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa (CSMA).

A proposta, protocolada junto à CSMA pelo deputado Valdeci Oliveira (PT), membro do colegiado, foi aprovada na reunião ordinária da Comissão realizada na manhã desta quarta-feira, 19, e reunirá gestores públicos, autoridades sanitárias, entidades médicas, Conselhos Regionais, entre outras entidades ligadas ao tema. O encontro, cuja data será confirmada nos próximos dias, se dará em ambiente virtual e poderá ser acompanhado pelo canal da Comissão na plataforma youtube (www.youtube.com/tvalrs).
“É uma discussão urgente e que precisa ser feita, pois vem ao encontro dos números preocupantes que vem sendo apresentados desde 2016 e que registram queda significativa na cobertura vacinal da população em todas as áreas. A imunização de algumas moléstias tiveram redução de até 50%. É um índice muito alto e cujo reflexo se dá no aumento de doenças que estão intimamente relacionadas com essa queda “, avalia o parlamentar.

Busca por respostas e ações

Para Valdeci, a audiência pública buscará ouvir os diversos atores responsáveis pelos processos de vacinação para saber quais os problemas, logísticas envolvidas, motivo das pessoas não procurarem os postos de saúde e se campanhas de informação estão sendo realizadas, entre outros aspectos. “Os levantamentos apontam que parte da população está deixando de buscar a imunização adequada e necessária, o que tem feito ressurgir doenças até então consideradas extintas. Precisamos de respostas e ações”, afirma o deputado.

“A ciência é clara quando aponta que vacina é fundamental. Temos que mobilizar a sociedade e cobrar dos gestores públicos esse compromisso que não é para um pequeno segmento, mas uma questão de saúde pública”, avalia.
A queda nos números de vacinas aplicadas no RS para diferentes moléstias acompanha o decréscimo registrado nacionalmente, que desde 2018 não atinge nenhuma das metas propostas. No caso do sarampo, por exemplo, então erradicado, o país perdeu a certificação da Sociedade Pan-americana de Saúde diante dos mais de 18 mil casos apresentados.

“Aqui no estado, entre janeiro de 2019 e junho de 2020, foram confirmados 138 casos da doença, 80% delas em não vacinadas ou com falhas na cobertura.  O mesmo ocorre com o HPV, presente em quase 100% dos casos de câncer de colo do útero, e com a febre amarela. Mas, infelizmente, a lista é maior ainda”, alerta Valdeci.

Convidados

Serão encaminhados convites para a participação de representantes do Ministério da Saúde,  Secretaria Estadual da Saúde (SES), Divisão de Vigilância Epidemiológica da SES,  Sociedade Riograndense de Infectologia, Sociedade  de  Pediatria do RS,  Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do RS,  dos Conselhos Estadual de Saúde e Regionais de Farmácia, de Psicologia, de Medicina, de Enfermagem,  de Fisioterapia e Terapia Ocupacional,  Conselho  Estadual da Criança e Adolescente,  Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente,  de Saúde,  Tribunal de Contas,  Defensoria Pública e universidades.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Valdeci deveria realizar uma audiência para discutir a situação de Plutão. Numa medida autoritária o corpo celeste deixou de ser considerado planeta. Não ao retrocesso! Violação da CF88!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo