DestaqueEducação

CAMPO. Docente e ‘startup’ da UFSM são agraciados com prêmio do ‘Jornal do Comércio’ e da Fapergs

Distinção “O Futuro da Terra” será entregue a José Miguel Reichert e à Zeit

Estudos em pequenas bacias hidrográficas rurais com produção de leite e grãos, de José Miguel Reichert: prêmio (Foto Arquivo Pessoal)

Por Mariana Henriques / Da Agência de Notícias da UFSM

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs), divulgou nesta terça-feira (2) os nomes dos agraciados com o prêmio O Futuro da Terra 2022. Duas iniciativas da UFSM estão na lista dos contemplados. Na categoria Preservação Ambiental o premiado foi José Miguel Reichert e na categoria Startup do Agronegócio o reconhecimento foi para a Zeit Análises Químicas.

Docente do departamento de solos da UFSM desde 1996, Reichert tem estudado e divulgado temas ligados ao solo e água, quanto ao uso racional, degradação, contaminação e recuperação em áreas agrícolas, florestais e de pastagem.  

O professor avalia que o reconhecimento recebido se dá, principalmente, pelo trabalho desenvolvido em oito grandes áreas de pesquisa que têm como foco a preservação ambiental: (1) Erosão e escoamento superficial de água; (2) Consumo e disponibilidade de água para culturas em agrossistemas; (3) Consumo de água por florestas e pastagens e efeito na vazão de riachos no Pampa; (4) Recarga de aquífero, com avaliação do impacto de floresta cultivada e de campo natural degradado; (5) Identificação de fontes de sedimentos para definir locais estratégicos para a conservação do solo e da água; (6) Contaminação da água por sedimento, agrotóxicos, nutrientes e agentes biológicos; (7) Alteração na estrutura do solo pela sua compactação/descompactação mecânica e biológica; (8) Trabalho de consultoria para a FAO-ONU, realizado em projeto com foco na preservação do solo e da água em sistemas de produção de trigo no Uzbequistão.

Para Reichert, o reconhecimento com o prêmio O Futuro da Terra – Preservação Ambiental destaca a importância dos estudos do grupo de pesquisa, que se caracteriza pela condução e divulgação à sociedade de resultados de pesquisas básicas e aplicadas para a melhoria da qualidade do solo em agroecossistemas com produção agrícola, com menor impacto ambiental. José Miguel também evidencia a participação de outros envolvidos nos projetos: “Esta distinção é dividida com os professores Dalvan Reinert, Paulo Gubiani, Jean Minella e Danilo Rheinheimer dos Santos, e com os 84 estudantes de iniciação científica, 33 mestres e 36 doutores formados, que atuaram conosco e que merecem compartilhar desse reconhecimento.”

Paula Dalla Vecchia e Renan Pardinho, fundadores da Zeit (Foto Luana Giazzon/Divulgação)

Na categoria Startup do Agronegócio, a premiação foi para a Zeit Análises Químicas, uma empresa incubada da UFSM. A Zeit está na Incubadora Pulsar, vinculada ao Parque Tecnológico e atua no desenvolvimento de inteligência artificial para o agronegócio brasileiro. Fundada em 2019, por Paula Dalla Vecchia e Renan Buque Pardinho, egressos da UFSM, mantém interação com a Universidade por meio de trabalhos de inovação e pesquisa com vários programas de pós-graduação. 

Atualmente, a empresa possui projetos desenvolvidos em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Zootecnia e com o Grupo de Estudo em Aditivos na Produção Animal, vinculado ao Laboratório de Qualidade do Leite. Nessa parceria, desenvolve um dispositivo portátil com inteligência artificial direcionada para a análise da qualidade do leite e silagem, que contribui para a cadeia da pecuária do leite, na produção de um produto de maior qualidade.

Paula Dalla Vechia, diretora de operações da Zeit, avalia que esse reconhecimento é devido ao trabalho que tem sido desenvolvido na integração entre a empresa e a universidade. “ Receber esse prêmio significa muito para nós. Isso reforça a importância da nossa interação com a UFSM, o que é incrível. A UFSM é uma universidade que sempre acreditou e investiu em inovação. Toda a equipe Zeit é formada por pessoas que estudaram na UFSM, assim esse reconhecimento que conseguimos é fruto do nosso trabalho e da Universidade.”, finaliza.

O prêmio O Futuro da Terra reconhece iniciativas e pesquisas que contribuem para a valorização de práticas que estimulam o desenvolvimento do agronegócio no Estado do Rio Grande do Sul. A promoção é do Jornal do Comércio, em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs). A cerimônia de entrega da premiação ocorrerá na Expointer, no dia 29 de agosto.

PARA LER NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo