DestaqueEleições 2022

ELEIÇÕES 2022. Confirmada aliança de Esquerda: Edegar Pretto (PT/PC do B/PV) e Pedro Ruas (PSol)

Convenção também aprovou candidatura compartilhada ao Senado, com Olívio

Edegar Pretto, entre os candidatos ao senado, Olívio Dutra, e a vice-governador, Pedro Ruas (Foto Rafael Stedile/Divulgação)

Da Assessoria de Imprensa do Partido dos Trabalhadores / RS

Com espírito de muita esperança e empolgação e tendo como grande temática a  palavra e o compromisso com Rio Grande, foi realizada a convenção partidária que formalizou a candidatura de Edegar Pretto (PT) para o Governo do Estado e Pedro Ruas (PSOL) como vice, na manhã deste domingo (31), em Porto Alegre.

No encontro, que reuniu cerca de mil pessoas, também foi confirmado o nome do ex-governador Olívio Dutra para o Senado Federal, posição que será compartilhada com dois suplentes, um deles é Roberto Robaina (PSOL).

O ato de homologação das candidaturas foi realizado pelo presidente da Federação Brasil da Esperança (PT, PCdoB e PV), deputado Paulo Pimenta, acompanhado dos presidentes dos partidos aliados e Luciana Genro, presidente da Federação PSOL/Rede Sustentabilidade. “Estamos confirmando as nossas candidaturas, desta chapa que será plural. E neste momento, confirmamos a candidatura do filho do Adão Pretto e da Dona Otília, lá de Miraguaí, Edegar Pretto, e o vice Pedro Ruas”, manifestou Pimenta, conclamando o público a ratificar o anúncio, por meio do agito das bandeiras.

Emocionado, Edegar Pretto chamou Pedro Ruas, Olívio Dutra e Tarso Genro para acompanhá-lo e testemunhar o ato de assinatura da carta de compromisso com os gaúchos. O documento é um diferencial da sua caminhada e foi construído a partir da escuta da população de todo o estado em 10 assembleias populares da sua pré-candidatura. “Estou aqui para firmar com vocês a minha palavra e colocar a minha assinatura numa carta de compromisso para reconstruir o nosso Rio Grande do Sul”, falou com entusiasmo.

Em três páginas, a carta lista as principais prioridades da população gaúcha e as propostas de como enfrentar os desafios de cada área para promover o desenvolvimento das regiões, a partir das suas demandas específicas. Entre os principais compromissos estão o combate à fome e à miséria, investimentos nos pequenos negócios e na agricultura, para que a geração de emprego e renda possam potencializar a economia do estado.

Outro grande destaque é um maior investimento na saúde pública, para que a população não precise esperar meses por consultas e exames. A educação é outro pilar importante do documento, que prevê investimentos em melhores estruturas, alimentação nas escolas para as crianças e os adolescentes que necessitam, além da valorização de todos os profissionais ligados ao ensino.

Em um segundo momento de fala, Edegar Pretto destacou que o RS precisa gerar oportunidades para as pessoas, e que é inadmissível que um território tão fértil e conhecido pela pujante produção de alimentos tenha tantas famílias passando fome. Ainda sobre a falta de alimentos para os que mais precisam, citou como exemplo o sucesso do programa Fome Zero, do governo Lula, e o Família Cidadã, da gestão de Olívio Dutra. 

“Eu tenho andado muito, e por todos os lugares eu ouço e vejo que as pessoas não querem esmolas, elas querem oportunidades. Se eu tiver a honra de ser governador, nós seremos o governo da oportunidade. Não vamos admitir que pais e mães durmam sem saber se terão comida para os seus filhos no dia seguinte”, salientou, criticando os atuais governos estadual e federal pela ausência de ações que deixou 1,2 milhão de gaúchos na extrema pobreza, com renda máxima de R$ 105 por mês.

Edegar Pretto fez um agradecimento especial pela confiança dos partidos aliados, PCdoB, PV, PSOL e Rede Sustentabilidade e pelo apoio e todo o exemplo, nos quais se inspira, de Olívio Dutra e Tarso Genro. “Foi o legado do Orçamento Participativo que fez com que na nossa pré-campanha estabelecesse o diálogo e a participação popular dos gaúchos e gaúchas. Nós vamos apresentar o melhor programa de governo, e só vamos colocar no papel aquilo que vamos cumprir. Eu aprendi com o meu pai, Adão Pretto, que uma palavra vale mais do que um contrato”, afirmou.

O vereador e pré-candidato a vice-governador, Pedro Ruas, criticou duramente as isenções que retiram dinheiro do Estado e impedem investimentos em serviços essenciais como educação e moradia popular, por meio do aluguel social. Lembrou ainda que os governos Sartori e Leite não apresentaram um único projeto para pessoas em situação de rua, problema que tem se agravado cada vez mais. “Falta de sensibilidade e de compromisso popular. É isso que precisamos e vamos mudar”, ressaltou Ruas.

O ex-governador e pré-candidato ao Senado, Olívio Dutra, destacou o modelo de mandato compartilhado com os seus suplentes, que pretende executar. Falou da união de forças e da construção de diálogo para que todos se sintam representados, além de defender igualdade de discurso e prática. “Queremos que o Senado também seja representado para fora, através do nosso mandato, com os movimentos sociais populares. Temos um compromisso sério, porque temos lado e sempre tivemos, que é a classe trabalhadora”, disse, ao defender em diversos momentos a importância da democracia e do protagonismo das pessoas. Por fim, lembrou que a unidade da esquerda é “um momento histórico de compromisso social para mudar o Rio Grande. Uma unidade de luta para mudar o Rio Grande, já que o Brasil vai mudar com o presidente Lula”.

Também participaram da convenção o senador Paulo Paim; o presidente do PV RS, Marcio Souza; o porta-voz da Rede Sustentabilidade, Andrezão Costa; o ex-governador Tarso Genro; deputados federais e estaduais, prefeitos, vereadores, representantes de movimentos populares, militantes e apoiadores de diversas regiões do estado.

As legendas têm até o dia 5 de agosto para oficializar seus candidatos e candidatas nas eleições deste ano, e até o dia 15 de agosto para pedir os registros das candidaturas na justiça eleitoral. As convenções partidárias são uma exigência da lei eleitoral. A Federação PT, PCdoB e PV apresentou uma nominata de 88 pré-candidatos: 56 para a Assembleia Legislativa e 32 para a Câmara Federal.

Trajetória de Edegar Pretto (PT)

Edegar Pretto tem 51 anos. É pai de três filhos. Natural de Miraguaí, na região Celeiro do RS, tem origem na roça. É filho de Adão Pretto, deputado federal falecido em 2009, e da dona Otília Pretto, falecida em 2010. É formado em Gestão Pública e está em seu terceiro mandato como deputado estadual, tendo sido o mais votado do PT nas últimas três eleições para a Assembleia Legislativa. Ele também presidiu a Casa em 2017. Em setembro de 2021, o PT confirmou seu nome como pré-candidato do partido para disputar o governo do Estado nas eleições de 2022. Entre suas principais bandeiras de trabalho estão a defesa da produção de alimentos, o combate à fome e o fim da violência contra as mulheres.

Trajetória de Pedro Ruas (PSOL)

Pedro Ruas tem 66 anos. Natural de Porto Alegre, é advogado formado pela Pontifícia Universidade Católica (PUCRS). Atuou na advocacia trabalhista, sempre em defesa do trabalhador. Iniciou sua trajetória política no Partido Democrático Trabalhista (PDT), onde foi secretário de Obras Públicas e Saneamento no governo do ex-governador Olívio Dutra. Sempre foi inspirado nas lutas de Leonel de Moura Brizola. Foi através de Pedro Ruas que o PSOL, partido do qual é um dos fundadores, conseguiu o seu primeiro mandato na Assembleia Legislativa. Atualmente é um dos vereadores da sigla na Câmara de Porto Alegre.

Trajetória de Olívio Dutra (PT)

Olívio de Oliveira Dutra tem 81 anos. É missioneiro nascido em Bossoroca. Foi casado por 54 anos com dona Judite Dutra, falecida em maio deste ano. Trabalhou como bancário no Banrisul e foi presidente do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre. Foi um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores, junto com Lula. Em 1986, foi eleito deputado federal constituinte. Foi prefeito de Porto Alegre de 1989 a 1992, governador entre 1999 a 2002 e ministro das Cidades no governo Lula entre 2003 e 2005. Em 2014, foi candidato ao Senado Federal pelo RS.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo