A queixa dos policiais civis e a curiosa reação de alguns vereadores. E a falta de reação de outros

Na sessão ordinária desta terça-feira, da Câmara de Vereadores, ocupou o espaço da “tribuna livre”, Magda Lopes, representante do Sindicato dos Investigadores, Inspetores e Escrivães da Polícia Civil. Segundo o material informativo distribuído pela Assessoria de Comunicação do Legislativo, de acordo com Magda, “mais de um ano após o fim da última greve o governo do Estado não cumpriu as promessas, entre elas, o reajuste salarial e a incorporação da gratificação do risco de vida ao vencimento básico e o pagamento de hora extra.”

A sindicalista também pediu aos parlamentares que solicitem ao Governo do Estado “em favor dos policiais civis” e entregou à Presidência do Legislativo um documento em que solicita apoio às reivindicações da categoria.

Maga registrou a insatisfação dos policiais com “o baixo valor da diária” paga para o deslocamento dos agentes e denunciou a criação de delegacias em todas as cidades, “sem o suficiente investimento para mantê-las”.

Até aí, tudo normal. Afinal de contas, deduz-se pelo material da assessoria de comunicação, tratava-se de mais uma das muitas (e legítimas) manifestações feitas por alguma categoria (no caso desta terça, a dos policiais civis) no espaço democrático da Tribuna Livre da Câmara de Vereadores.

O que chama a atenção, na verdade, foi a reação dos vereadores. Dois deles se manifestaram.

Reproduzo aqui, por exemplo, o que disse o tubias calil, do PMDB: ” declarou apoio às reivindicações realizadas pelos policiais civis, destacando a necessidade de ter cuidado para não partidarizar a discussão sobre segurança. Disse que a maioria dos policiais fez campanha para Olívio Dutra porque acreditavam que ele iria salvar a pátria. Mas ele iludiu a classe, observou.”

COMENTÁRIO MEU: Geeenteeeee! Quem é o governador do Estado? De que partido ele é? E não é ele o responsável, hooooje, pela política de segurança do Rio Grande do Sul?

Reproduzo aqui, também, o que disse o vereador Cláudio Rosa, do PMDB, segundo a Assessoria de Imprensa da Câmara: ” responsabilizou o secretario estadual de segurança pelos problemas que o Estado enfrenta. Ele reclamou do piso salarial dos policiais do Estado. Segundo Rosa, é preciso surgir no país expectativas para os trabalhadores, pois os modelos existentes hoje já não servem mais. Ele declarou que fez campanha para o atual governador do Estado, pois acreditava nas melhoras que ele traria.” MAIS UM COMENTÁRIO MEU: Geeenteeee!!!! Cláudio Rosa é de que partido mesmo? E de que sigla é o governador do Estado apoiado por ele? Mmmmmm. Será que Rosa vai deixar o partido do governante que traiu a crença do bravo militante que para ele fez campanha e não “trouxe melhorias”? Mmmmmm. E de que agremiação política é mesmo o secretario de Segurança criticado por Rosa? Ah, esse eu sei, é do PP e seu nome é José Paulo Bisol (ops, José Otávio Germano). Aliás, os pepistas não falaram na sessão da Câmara de hoje (pelo menos não constam no material enviado pela assessoria). Por que, hein?

Por favor, que ninguém fique brabo com o jornalista. Foram apenas e simplesmente perguntas. Tolas, quem sabe, mas, enfim, foi o que surgiu no momento. Desculpa por pensar. E ter memória.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *