Arquivo

Eleições 2006. Advogados são a maioria dos candidatos. Fora, claro, políticos profissionais

Aqueles que exercem cargo eletivo e fazem disso a sua profissão são a maioria dos candidatos que concorrem no pleito de 1º de outubro. São praticamente 10% do total de nomes apresentados ao eleitorado. São quase 2 mil nessa condição.

Só depois deles é que vêm as outras categorias profissionais. Nessa condição se destacam os advogados, a segunda profissão mais citada. São pouco mais de 1,4 mil. Seguem-se, então, os “empresários” e “comerciantes”, cada qual com pouco menos de 1,4 mil. Aqui, uma curiosidade: qual o critério para separar empresários e comerciantes. Não serão, ambos, a mesma coisa? Bem, pelo menos para o Tribunal Superior Eleitoral a divisão existe. Então, tá.

Se você desejar saber a divisão exata, e todas as demais profissões que surgem no levantamento do TSE divulgado nesta sexta-feira, inclusive por cargo (presidente, senador, governador e deputado) leia a reportagem publicada no site da principal instância da justiça eleitoral no Brasil:

”Políticos com mandatos são maioria na disputa de cargos nas eleições 2006

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou nesta sexta-feira os dados relativos à profissão dos candidatos a cargos eletivos nas eleições de outubro. Dos 19.402 registrados na base de dados que serviu de análise ao levantamento, a maioria é de políticos com mandatos: são 1.902 (9,8%), entre deputados, governadores, prefeitos, vereadores, senadores e até presidente da República.

Em seguida, vêm advogados (1.438), empresários (1.396) e comerciantes (1.387). No dia 1º de outubro, os brasileiros irão escolher 513 deputados federais, 1.059 deputados estaduais e distritais, 27 senadores, 27 governadores e um presidente da República.

A base de dados a partir da qual se fez o levantamento ainda não está consolidada e sofre alterações a todo o momento. Para se ter uma idéia, da fase de registro das candidaturas (de 5 a 7 de julho) até a presente data, 368 pedidos de registro foram indeferidos, 197 candidatos renunciaram e cinco faleceram. Os dados somente estarão consolidados após o dia 23 de agosto, limite para que os Tribunais Regionais Eleitorais e o TSE julguem todos os pedidos de registro de candidaturas.

Senado

Entre os 232 candidatos ao Senado, a profissão mais comum entre eles é a de advogado. Dos 196 candidatos masculinos, 29 são advogados. Entre as 36 mulheres, quatro também têm registro na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

A segunda profissão mais comum entre os candidatos ao Senado é a de empresário (14). No caso das candidatas, a segunda ocupação mais comum é a de servidora pública federal (3).

De carreira política, entre os candidatos ao Senado, 11 disputam a reeleição e 9 querem ascender da Câmara dos Deputados para o tapete azul do Congresso e seis vereadores tentam ser eleitos para trabalhar em Brasília. Entre as candidatas ao Senado, duas são deputadas e uma é vereadora.

Ainda entre os que concorrem ao Senado, as profissões são diversificadas: tem de padeiros e confeiteiros (2) até geólogos e militares da reserva; cantor e compositor – Vital Farias, pelo PSOL da Paraíba – e publicitárias (2); uma cobradora de transporte coletivo, um artista plástico e um chaveiro, um sacerdote, entre outros.

Deputados federais

Dos 5.480 candidatos a deputado federal, são 4.793 homens e 687 mulheres. As profissões mais comuns entre eles são as de advogado (560) e empresário (422).

Em terceiro lugar, no ranking das ocupações dos candidatos a deputado federal, vêm os políticos de carreira. Entre os homens, 340 são deputados, 176 são vereadores, dois são prefeitos e dois são senadores. Entre as mulheres, 27 são deputadas e 21, vereadoras. Entre os servidores públicos estaduais e federais, 342 tentam uma vaga na Câmara Federal.

Há, ainda, 18 donas de casa, alfaiates (4), artistas plásticos (2), empregados domésticos (2), manicures (2), um comissário de bordo, uma garçonete, uma pescadora e uma sacerdotisa. E muitos declaram ser professores, comerciantes, médicos, estudantes, policiais, engenheiros e aposentados.

Governadores

Dos 212 candidatos a governador de estados, 185 são homens e 27 são mulheres. A profissão mais comum entre eles é a de advogado (22), entre os candidatos, e de professor de ensino médio (4), entre as candidatas.

Em seguida, vem a própria carreira política: 16, sendo 15 homens e 1 mulher, são candidatos à reeleição em seus próprios estados. Em terceiro lugar, entre os governadores, vem a profissão de empresário: são 13 empresários e três empresárias.

Entre as ocupações sem nível superior para os postulantes ao cargo de governador, surgem agentes postais, vendedores, caixeiros-viajantes, protéticos e…”


SE DESEJAR ler a íntegra da reportagem, pode fazê-lo acessando a página do Tribunal Superior Eleitoral na internet, no endereço http://www.tse.gov.br.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo