Transporte. Tendência é de aumento da tarifa, segundo conselheiros ouvidos pelo DSM

O Diário de Santa Maria, em reportagem assinada pelo jornalista Deni Zolin e publicada nesta quinta-feira, indica com clareza que, ao contrário do que aconteceu em abril, agora o Conselho Municipal de Transportes tende a votar pelo aumento da tarifa de ônibus urbano.

Planilha da prefeitura aponta para R$ 1,82, como o preço sugerido. Relator do processo em discussão no CMT sugere aumento algum – por “falta de dados mais consistentes” na planilha do Executivo – embora entenda que a passagem deva custar R$ 1,68.

A reunião do Conselho, que trata do assunto, acontece na manhã desta quinta-feira. Enquanto ela não acontece, confira a notícia do DSM, com a sua previsão:

”R$ 1,82 sai na frente
Das quatro propostas da tarifa que devem ser votadas hoje, a da prefeitura tem a maior chance de vencer

Se nenhuma surpresa ocorrer, a passagem de ônibus deve subir para R$ 1,82 em Santa Maria. Pelo menos essa é a tendência apontada pela maioria dos conselheiros, consultados ontem pelo Diário, para a votação de hoje do Conselho Municipal dos Transportes.

Até mesmo os contrários ao reajuste admitem que será difícil manter a tarifa de R$ 1,60, como ocorreu em abril. Esse grupo tenta agora propor a votação de um valor intermediário, entre R$ 1,65 e R$ 1,75. Mas o preço que vai à votação só será definido durante a reunião, depois que quatro conselheiros apresentarem a análise do relatório do professor de Economia da UFSM Ricardo Rondinel. Eles pediram vistas e vão dizer se concordam ou não com o estudo de Rondinel, que apontou uma tarifa a R$ 1,68, mas afirma que a passagem deve ficar em R$ 1,60 até que a prefeitura apresente um cálculo confiável.

Quem deve votar pelo aumento para R$ 1,82 são os conselheiros ligados a empresas do setor de transporte e os três conselheiros ligados à prefeitura, além da União Santa-Mariense dos Estudantes (USE). A entidade estudantil não divulgou ontem qual será o voto, mas a probabilidade é que continue votando a favor do reajuste, como tem feito desde 2004. Com isso, há metade dos votos para o aumento, o que praticamente garante a vitória. Além do mais, outros dois conselheiros – da APDC e da CDL – afirmaram ontem entender que as empresas de ônibus precisam do reajuste das tarifas.

Há duas chances de a tarifa continuar em R$ 1,60. A primeira é se todos os indecisos decidirem votar contra o reajuste. Nesse caso, pode haver…”


SE DESEJAR ler a íntegra da reportagem, pode fazê-lo acessando a página do jornal na internet, no endereço www.clicrbs.com.br/jornais/dsm/.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *