Arquivo

Artigo. Caio Jordão e o imposto pago pelo pobre

”… Está chegando ao fim de mais um Governo e nada de reforma tributária. Nada de simplificação do sistema tributário que é arcaico, paquidérmico e inibidor da atividade empresarial.

Chegou-se ao fim também de mais uma campanha política onde o assunto é tratado de forma retórica, verdadeiramente debochada e sem nenhuma proposta efetiva, o que demonstra o despreparo de quem se apresenta para governar este pobre país.

Em outros tempos, na Inglaterra, tributar-se a pobreza gerou uma Revolução. Aqui aceitamos pacificamente este absurdo de retirar-se de famílias que ganham até dois salários mínimos 49% de sua renda, transferindo-a de volta para os Governos…”


Os parágrafos acima fazem parte do artigo “Imposto sobre Pobreza. Até quando? ”, escrito por Antonio Carlos (Caio) Jordão, presidente do Conselho Regional de Desenvolvimento, e também do Fórum de Desenvolvimento Integrado e Sustentável da Mesorregião Metade Sul do Rio Grande do Sul, e colaborador semanal deste site, às segundas-feiras. Ele foi postado há instantes. Basta ir à caixa de “Artigos”, ao lado, para lê-lo na íntegra. Boa leitura!

ATENÇÃO


1) Tua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo