Arquivo

Uma opinião. A “MG” perdeu mais um “round” (ou assalto, em português) na guerra contra Lula

É impressionante. Já disse e escrevi que Luiz Inácio Lula da Silva ganhou (aliás, deu uma sova de votos) de Geraldo Alckmin em 2006, apesar de toda a torcida da Mídia Grandona (e da que se acha). Como já havia ocorrido, em menor escala, quatro anos antes.

 

Pois a guerra continua, basta ler os principais colunistas da MG. E tudo é motivo para desqualificar o Presidente da República – inclusive sua linguagem. Mas há um problema. Parece tratar-se de confronto perdido, e a própria representação midiática se vê obrigada, quase a pedir desculpas, a noticiar que a quem interessa, a sociedade, Lula agrada. Que fazer, nesse caso, exceto chorar as pitangas e esperar o próximo “round”. Ou seria assalto?

 

Os parágrafos acima têm muito a ver com a opinião do (nem sempre) humilde editor deste sítio. Mas, mais que isso, retratam em síntese um artigo muito bem escrito pela escritora, jornalista e publicitária paulista Márcia Denser, mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP e colaboradora habitual do sítio especializado Congresso em Foco. Leia você mesmo, a seguir, o que ela escreve. Ah, a foto é de Roosewelt Pinheiro, da Agência Brasil:

 

“A mídia que sifu

 

Faz tempo que não cito o Emir Sader, mas o texto dele para a Carta Maior do último dia 6/12 conseguiu exprimir de forma irretocável o day after dos bastidores da mídia oficial depois de mais um tiro pela culatra: a pesquisa Datafolha que acusou o índice de 70% de aprovação para o governo Lula. Dá-lhe, Emir:

 

“Crise faz despencar popularidade de Lula” – a manchete do Diário Oficial Tucano (DOT), a FSP (Força Serra Presidente), estava pronta. O editor-chefe encomendou nova pesquisa de opinião, menos de dois meses antes da anterior, para constatar os evidentes desgastes na imagem do presidente com a crise e, principalmente, com o clima de pânico e pessimismo que a mídia privada – e em especial, o DOT – tinham disseminado. Como toda pesquisa fabricada, não se pesquisava a popularidade de Lula, mas a eficácia da campanha de desgaste que a mídia oligárquica tinha desatado. Alardeia-se todo o tempo OMO LAVA MAIS BRANCO e se contrata pesquisa para conferir a efetividade da lavagem de cérebro.

Tudo pronto, convocados os zelosos funcionários tucanos da página dois, os chamados “especialistas” – disfarce tucano-fernandohenriquista – para comentar, tudo pronto para explorar a queda irreversível do apoio a Lula.”

 

 

EM TEMPO: na nota imediatamente a seguir, publico artigo que trata da redução do número de leitores de jornais. E indago sobre uma perda, na mesma proporção, da influência dos nossos periódicos. Será, antecipo, esta posição absolutamente anti-fato, responsável, mesmo que parcial, por esta queda? Que tal refletir também sobre isso!

 

 

SUGESTÃO DE LEITURA – confira aqui a íntegra do artigo “A mídia que sifu”, de Márcia Denser, no sítio especializado Congresso em Foco.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo