Assembleia

CPI DA CORRUPÇÃO. Definidos quatro depoimentos. Governo rejeita ouvir Vaz Netto

Oposicionistas debatem, debatem, debatem. Mas não têm voto para aprovar requerimentos
Oposicionistas debatem, debatem, debatem. Mas não têm voto para aprovar requerimentos

Na primeira reunião efetiva com a presença de todos os seus integrantes, a Comissão Parlamentar de Inquérito que apura possíveis atos de corrupção no governo do Estado aprovou apenas o que havia sido acordado semana passada entre representantes da base governista e da oposição. São quatro depoimentos de ex-presidentes do Detran, marcados para a próxima quinta-feira.

Mas também ficou só nisso – além de três áudios ouvidos já na parte de assuntos gerais e com presença rala de parlamentares. Todos os outros requerimentos, apresentados pelos oposicionistas, acabaram rejeitados ou prejudicados (pelo número mínimo de votos), podendo ser reapresentados. É o caso do muito esperado (ele inclusive já disse que gostaria de depor) Flávio Vaz Netto, presidente do Detran à época da Operação Rodin, que desencadeou todo o processo de convulsão política no Estado, com reflexos diretos em Santa Maria.

Sobre a reunião da CPI nesta segunda-feira, e todas as suas decisões, acompanhe material distribuído pela Agência de Notícias da Assembléia Legislativa. O texto é assinado pela jornalista Michele Limeira, com foto de Marco Couto. A seguir:

Deputados aprovam os primeiros dois requerimentos

Após quatro sessões sem quorum para deliberar, os membros da base governista voltaram a participar das reuniões da CPI e permitiram a aprovação de dois dos 15 requerimentos que estavam na ordem do dia. O primeiro, aprovado em preferência, define os quatro primeiros nomes que devem comparecer para depor nas próximas reuniões. A outra proposição requer ao Estado documentos sobre as pendências do Detran com a empresa Atento Service. 

As primeiras testemunhas da CPI são o secretário adjunto de Administração, Genilton Macedo Ribeiro; a delegada de polícia e ex-presidente do Detran, Estella Maris Simon; o auditor fiscal do Estado e também ex-presidente da autarquia, Sérgio Luiz Buchmann; e o atual presidente do órgão, Sergio Fernando Elsenbruch Filomena. Os nomes foram definidos em consenso entre os integrantes da CPI, conforme acordo realizado na última quinta-feira (24), e constavam no requerimento 24, de autoria conjunta da presidente da CPI, deputada Stela Farias (PT), e do relator, deputado Coffy Rodrigues. Segundo os membros da CPI, a investigação tratará inicialmente sobre o caso Detran.

Os deputados da oposição usaram este argumento para tentar aprovar o requerimento 5, dos deputados Gilmar Sossella (PDT), Daniel Bordignon (PT), Paulo Borges (DEM) e Raul Carrion (PC do B), propondo a convocação dos ex-presidentes do Detran, Carlos Ubiratan dos Santos e Flavio Roberto Luiz Vaz Netto. No entanto, a proposição foi prejudicada com quatro votos favoráveis e quatro contrários. Para ser aprovado ou rejeitado, o requerimento precisaria de no mínimo sete votos. Bordignon justificou: “aprovar é uma questão de bom senso e de coerência ao acordo”. O argumento de que os nomes estão relacionados ao caso Detran foi reforçado pelos outros membros da base oposicionista, mas não convenceram a base aliada. “Ninguém disse que estas pessoas não virão, vamos ouvir cada um de acordo com a organização do inquérito”, explicou o peedebista, deputado Alceu Moreira…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

SUGESTÃO ADICIONAL – confira aqui, se desejar, também outras reportagens produzidas e distribuídas pela Agência de Notícias da Assembléia Legislativa.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo