CrônicaUFSM

PROBLEMÃO. Máucio e a sua dúvida: cadê 1,2 milhão de percevejos da UFSM?

 “No dia seguinte perguntei à secretária do curso quantas caixas de percevejos ela solicitava, normalmente, pro almoxarifado. Vinte, respondeu-me. E, muitas vezes, tenho que pedir mais. A cada início de semestre?  Sim. Ora, 20 vezes 50 totalizam 1000 percevejos por semestre, só nessa secretaria. Dividindo-se por quatro, número ideal para fixar um cartaz, resulta que há fixadores suficientes para 250 cartazes. Mas a questão fundamental não é exatamente essa. O problema que é saber, pra onde vão as 1000 unidades adquiridas semestralmente? Em síntese: onde vão parar os percevejos?

Coloquei minha dúvida a um colega e ele de pronto respondeu: pro mesmo lugar que vão as “bics”. Pensei estar resolvida a questão, mas não. As canetas…”

CLIQUE AQUI para ler a íntegra da crônica “E os percevejos?”, de Máucio, colaborador semanal deste sítio. O texto foi publicado há instantes, na seção “Artigos”. Máucio (Mario Lúcio Bonotto Rodrigues) é cartunista e professor de design no Curso de Desenho Industrial/ CAL- UFSM.  É Bacharel em Comunicação Visual/ UFSM e Mestre em Comunicação/ UFRGS.

 

 

 

 

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo