DAY-AFTER. Após ver-se (e ao País) elogiado no mundo, Lula colhe louros olímpicos

DAY-AFTER. Após ver-se (e ao País) elogiado no mundo, Lula colhe louros olímpicos - lula-em-copenhague

Lula comemora em Copenhague. Aliás, um festerê ecumênico, do ponto de vista político

Embora pareça ser esta, mesmo, a índole demonstrada pelo jogo político brasileiro, não deixa de ser curioso que as maiores críticas (e até nem são tantas assim) pela conquista da Olimpíada de 2016 pelo Rio de Janeiro (como já acontecera antes com a definição da Copa do Mundo de Futebol de 2014) surgem mesmo no front interno.

No planeta inteiro o que há são louvações ao Brasil e ao seu protagonismo, aliás projetado para muito além do esporte. Já aqui… Bem, o Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, que personifica esse momento brasileiro (goste-se ou não dele, e parece que cada vez menos não gostam), foi ao seu programa de rádio semanal, reproduzido por centenas de emissoras de rádio, para colocar a sua posição.

Entre os pontos de vista lulistas, um encontra cada vez mais eco: são investimentos (os destinados à Olimpíada) que vão “permitir a melhoria da qualidade de vida do povo da cidade do Rio de Janeiro”. Quer saber mais? Confira o material publicado na versão online d’O Estado de São Paulo. A foto é de Ricardo Stuckert, da SCS/Pr. A seguir:

Dinheiro para Olimpíada é investimento, não gasto, diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que não considera que sejam “gastos” os recursos que serão usados nos Jogos Olímpicos de 2016, mas sim “investimentos”. De acordo com Lula, não se deve perguntar quanto o Brasil gastará no evento, mas quanto ganhará com a realização do evento. “É acreditando assim que a gente vai fazer uma grande Olimpíada”, afirmou, no programa semanal de rádio Café com o Presidente que foi ao ar nesta segunda-feira.

Lula disse achar que é “sempre importante” se pensar no quanto se gastará para a concretização de uma competição desse porte, mas o principal, na opinião do presidente, é a “chance” que o Brasil terá de se apresentar ao mundo como “jamais” teve. “Nós estamos investindo na nossa nação, nós vamos ter de investir mais na formação profissional de atletas, nós vamos ter de construir mais coisas, melhorar ruas, melhorar o metrô, melhorar as avenidas, melhorar o transporte, ou seja, tudo isso é investimento para a Olimpíada, mas, ao mesmo tempo, são investimentos que vão permitir a melhoria da qualidade de vida do povo da cidade do Rio de Janeiro”, disse. O presidente mencionou o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e lembrou que o governo fará um PAC específico para a Copa do Mundo de 2014.

Segundo Lula, o País tem o direito de celebrar a conquista dos Jogos Olímpicos, antes de pensar nos próximos passos. “Mas nós temos agora um tempo para começar a preparar, nos três níveis de governo, prefeitura, governo estadual, governo federal, o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), nós vamos começar agora, a discussão de como nós vamos…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *