EDUCAÇÃO. Professores (e estudantes) debatem a “privatização do Estado brasileiro”

EDUCAÇÃO. Professores (e estudantes) debatem a “privatização do Estado brasileiro” - sedufsm2

Na mesa, a reunião de representantes do professorado e também estudantes

Segue até este domingo o quinto Encontro de Grupos de Trabalho do Sindicato Nacional dos Docentes (ANDES), no plenário da Câmara de Vereadores. O primeiro debate travado, reunindo representantes de professores e estudantes, foi sobre “privatização do Estado brasileiro”. Mais detalhes você encontra no material distribuído pela assessoria de imprensa da Seção Sindical dos Docentes da UFSM (Sedufsm), anfitriã do evento. O texto é de Fritz R. Nunes, com foto de Renato Seerig. Confira:

 V Encontro de GTs inicia debatendo a “privatização do estado brasileiro”

A privatização do Estado brasileiro e suas conseqüências foi o tema que norteou a conferência de abertura do V Encontro de Grupos de Trabalho do ANDES- Sindicato Nacional dos Docentes, na manhã desta sexta, 23, no plenário da Câmara de Vereadores de Santa Maria. Precedendo ao debate, a solenidade contou com a presença da secretária-geral do ANDES-SN, professora Solange Bretas, que representou o presidente da entidade, Ciro Correia. Estiveram ainda o 1º vice-presidente da regional RS do ANDES-SN, Fernando Molinos Pires, a presidente da SEDUFSM, Fabiane Costas, e os representantes do DCE – Anderson Machado; da ASSUFSM- Eloiz Cristino; do CPERS- Sindicato dos Professores Estaduais, Carmem Santos e do Sinprosm- Sindicato dos Professores Municipais, Martha Najar.

Em nome do ANDES-SN, a professora Solange Bretas se disse satisfeita com esse encontro em Santa Maria, pois a intenção do sindicato é “construir políticas coletivamente visando a um mundo melhor”. Para ela, o ANDES é “um sindicato que não se rende e, por isso, vamos continuar incomodando bastante”. Anderson Machado, do DCE, destacou a importância do ANDES como “único representante sindical dos docentes” na discussão das políticas para a universidade. Eloiz Cristino, da ASSUFSM, ressaltou que os temas levantados para o Encontro de GTs, como é o caso das fundações ditas de apoio e o da reforma universitária, são fundamentais para se saber que concepção de Estado se quer.

A professora Fabiane Costas, presidente da SEDUFSM, saudou os presentes fazendo referência aos 20 anos que a entidade completa no próximo dia 7 de novembro. Segundo ela, a SEDUFSM foi fundada no ano em que estava terminando o curso de Pedagogia. Foi um ano em que a formatura atrasou devido à realização de uma greve. No entanto, para Fabiane, os movimentos liderados pelo sindicato sempre tiveram um caráter pedagógico, pois sempre levantando bandeiras em favor da universidade, em favor da educação. A representante do Sinprosm, Martha Najar, também destacou a “parceria” da SEDUFSM, que sempre esteve ao lado dos trabalhadores em educação…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

SUGESTÃO ADICIONAL – confira aqui, se desejar, também outras reportagens produzidas e distribuídas pela assessoria de imprensa da Sedufsm.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *