Congresso

VIOLÊNCIA URBANA. Crime organizado muda foco de atuação, diz Pimenta, após encontro na PF

Pimenta, na PF, viu armas semelhantes às que ajudaram a derrubar helicóptero policial no RJ
Pimenta, na PF, viu armas semelhantes às que ajudaram a derrubar helicóptero policial no RJ

Com a ação eficiente da Polícia Federal, no combate ao crime organizado, seus líderes mudaram o foco de atuação. Não seria por outra razão, por exemplo, que nos últimos dois anos aumentaram os atentados a órgãos públicos, inclusive quartéis – tudo para buscar armamentos. É o que disse, entre outras coisas, o deputado federal Paulo Pimenta (PT), após encontro com o Diretor Geral da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa.

O parlamentar santa-mariense esteve na PF como relator da CPI da Violência Urbana da Câmara dos Deputados. Esteve acompanhado do presidente, o mineiro Alexandre Silveira (PPS). O que conversaram e outros assuntos relativos ao andamento da Comissão você confere no material distribuído pela assessoria de imprensa de Pimenta. A foto é de Ricardo Lopes. A seguir:

CPI da Violência Urbana e PF firmam parceria no combate ao tráfico de armas

A CPI da Violência Urbana realizou nesta quinta-feira (22) reunião com o Diretor da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa, e com o chefe da Divisão de Repressão ao Tráfico Ilícito de Armas da Polícia Federal, Marcus Vinicius Dantas.  Foram debatidas propostas que devem ser executadas pela Câmara dos Deputados para auxiliar o combate ao tráfico de armas. A reunião teve um caráter reservado e contou com a presença dos parlamentares Alexandre Silveira (PPS-MG) e Paulo Pimenta (PT-RS), presidente e relator da comissão.   

Segundo Corrêa, a extensa fronteira terrestre e marítima, associada ao controle deficitário realizado com equipamentos insuficientes nas fronteiras e aeroportos são as principais dificuldades encontradas pela PF no combate ao tráfico de armas. O diretor-geral da PF lembrou ainda que algumas iniciativas já executadas, como a centralização e reorganização do Sistema Nacional de Armas, estão ajudando a enfraquecer crime organizado, porém, devem ser feitos reajustes, buscando potencializar o sistema.

Paulo Pimenta ressaltou que o sucesso da política de combate à criminalidade implantada pela PF está fazendo com que traficantes de armas e drogas busquem alternativas para o desenvolvimento de suas ações entre 2008 e 2009 é possível perceber que houve um crescimento no número de atentados em quartéis, guardas municipais e demais entidades públicas do país. Essa situação é motivada pela busca em suprir a ausência de armas no mercado paralelo.

 “O crime organizado está mudando seu foco de atuação. As instituições públicas estão se tornando o alvo preferido dessas facções criminosas em busca de armamento. Devemos apresentar algumas propostas concretas para barrar o avanço desse tipo de situação”, afirmou Pimenta.

Pimenta informou que as questões apresentadas pela Policia Federal serão analisadas pela comissão com prioridade. O objetivo é agilizar a tramitação de algumas propostas na Câmara dos Deputados, principalmente as relacionadas ao tráfico Ilícito de armas.

Na próxima quarta-feira (28), a CPI da Violência Urbana recebe como convidado o Ministro da Justiça Tarso Genro. Será debatida a política de segurança no estado do Rio de Janeiro, esclarecendo as ações do Plano Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) relacionadas ao combate ao crime organizado que estão sendo adotadas no RJ. A reunião acontece a partir das 13h na Câmara dos deputados.”

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo