É TUDO NEGÓCIO. Na briga Record x Globo, quem ainda pode ser vencedora é a Band

É TUDO NEGÓCIO. Na briga Record x Globo, quem ainda pode ser vencedora é a Band - olimpiada-londres

Olimpíada de Londres e seu logotipo. Esporte? Não, negócio. Pelo menos para as TVs

Sabe essa história de prestar serviço público, que norteia qualquer propaganda de emissora de rádio e televisão? Se você ainda não sabe, digo, é (quase) tudo balela. Na verdade, embora concessão pública, as ditas cujas são geridas segundo um único interesse: o caixa. Se, na rebarba, for possível prestar um bom serviço, ok. Se não, ok também.

Como você já leu aqui, a briga entre as grandonas Record e Globo tinham nada a ver com religião, e tudo com troco. E muuuuito troco. O resto é conversa mole para adornar e eventualmente justificar o bafafá.

Tome-se, agora a questão da Olimpíada. Num lance de sorte e apresentando uma proposta muito acima da concorrente, a Record virou emissora exclusiva dos Jogos de Londres, em 2012. E, para sua sorte, os detentores dos direitos resolveram não dar exclusividade a ninguém em 2016, quando a Olimpíada é no Rio de Janeiro. Esta, mediante o mesmo pagamento, todas poderão transmitir. De modo que a rede do bispo Macedo terá para seu público os dois eventos.

Melhor, claro, será o primeiro, só seu. E a quem ela poderá liberar. Coisa que a Globo até tentou negociar. Mas olha só o que está por acontecer, segundo Lauro Jardim, na versão online da seção “Radar” da ex-revista Veja. Só para você perceber, se ainda não aconteceu isso, qual o interesse que está por trás de tudo e que, repito, não é a sociedade. Acompanhe e tire tua própria conclusão:

TELEVISÃO – Com a Globo, não; mas com a Band tem jogo

Com a Globo, não tem conversa, mas a Record admite vender para a Band os direitos de transmissão dos dois Pans que comprou – o de 2011, em Guadalajara; e o de 2015, cuja cidade-sede ainda não foi escolhida.”

SUGESTÃO ADICIONAL – confira aqui, se desejar, também outras notas publicadas por Lauro Jardim, na versão online da seção “Radar”, da ex-revista Veja.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *