EconomiaSanta Maria

ECONOMIA. Inflação santa-mariense foi de 6,51% em 2009. Em dezembro, houve variação de -0,05% no ICVSM

“Postado por Gilson Piber”

O Laboratório de Práticas Econômicas do curso de Economia da Unifra divulgou ontem (11), o Índice do Custo de Vida de Santa Maria (ICVSM), com dados atualizados de dezembro e do acumulado do ano. De acordo com o trabalho, que tem a coordenação geral do professor José Maria Pereira, os preços apresentaram variação de -0,05% no mês de dezembro de 2009. No último mês do ano, o nível médio de preços pagos pelos consumidores santa-marienses apresentou, pela primeira vez em 2009, queda em relação ao mês anterior, indicando deflação, ainda, que de pequena magnitude. Tendência essa que vem mantendo-se nos últimos meses. Entretanto, em 2009, os preços na cidade de Santa Maria acumularam uma alta de +6,51% em relação ao ano anterior.

Embora o ICVSM no mês de dezembro tenha apresentado queda quando comparado ao mês anterior, esse movimento não foi seguido por todos os grupos. Alimentação, artigos de residência, educação e comunicação foram os grupos que apresentaram variações positivas; enquanto, habitação, vestuário e saúde e cuidados pessoais apresentaram variações negativas. Já os grupos transporte e despesas pessoais mantiveram-se praticamente estáveis na comparação entre os meses de novembro e dezembro.

Por sua vez, o resultado do ICVSM no mês de dezembro está associado, especialmente, a variação negativa do grupo vestuário, que se retraiu em -1,86% e a variação positiva do grupo educação, que elevou-se em +2,02% em relação ao mês anterior. Nos demais grupos, as variações positivas e negativas não foram superiores a 0,25%.

Decompondo a análise por grupos e por produtos que os compõem, verifica-se que no grupo alimentação, cuja variação positiva foi de +0,10% no mês de dezembro, os produtos que apresentaram maiores altas em seus preços foram: chester (+27,9%), laranja (+17,5%), rúcula (+10,7%), brócolis (+10,6%) e suco (+10,2%). Já os produtos alimentícios que apresentaram maiores baixas em seus preços foram: melancia (-22,9%), lentilha (-14,2%), melão (-12,2%), requeijão (-11,5) e polentina (-11,4%). Destacam-se nesse grupo, os produtos chester e lentilha, os quais têm seus preços ligados às festividades natalinas e de fim de ano. Os demais produtos como hortaliças, frutas e verduras tem sua variação de preços ocasionada pela sazonalidade da produção, com os preços caindo na época de safra e subindo na entressafra, como também e as excessivas mudanças climáticas ocorridas.

O grupo habitação registrou uma redução média em seus preços em -0,21% em dezembro comparativamente ao mês anterior. Os itens que apresentaram as maiores altas nesse grupo foram: detergente líquido (+13,7%), sabão em pó (+8,4%), amaciante de roupas (+7,4%), lâmpadas (+7,4%) e sabão em barra (+6,6%). Enquanto os que apresentaram maiores baixas foram: alvejante (-11,5%), esponja de aço (-8,2%), carpete (-8,0%), aluguel de garagem (-7,1%) e ferragens (fechaduras, ferro, arame e pregos) (-5,9%).

O grupo artigos de residência sofreu um aumento médio +0,18% em relação ao mês de novembro. As maiores variações positivas foram verificadas nos preços dos seguintes produtos: ventilador (+9,9%), conjunto de estofado de sala (+8,8%), baixela (+7,3%), microcomputador (+6,9%) e fogão a gás ou elétrico (+3,6%). Por outro lado, as maiore variações negativas foram registradas nos preços dos seguintes produtos: forno microondas (-9,5%), liquidificador (-8,3%), guitarra (-7,4%), mesa e cadeira de sala (-5,6%) e cafeteira elétrica (-5,6%).

No grupo vestuário, cuja variação negativa foi de -1,86% em relação ao mês de novembro e, que apresentou a maior contribuição no mês para o ICVSM, -0,10%, os produtos que apresentaram maiores altas foram: calça comprida para homens (+9,7%), chinelos (+8,5%), roupa de dormir para mulher (+8,3%), vestido mulher (+8,0%) e roupa de dormir infantil (+7,7%). Já, os produtos que apresentaram maiores quedas foram os seguintes: agasalho homens (casaco, sueter) (-17,4%), tênis para criança (-13,6%), roupa de banho para mulher (-10,3%), bolsa e carteira feminina (-9,4%) e calçado não de plástico para mulher (-9,1%). Constata-se, pela Figura 3, que as maiores quedas nos preços dos produtos não alimentícios são de produtos integrantes do grupo vestuário, o que, em grande parte, determinou sua significativa variação negativa no mês.

Os grupos transporte e despesas pessoais mantiveram-se praticamente inalterados em relação ao mês de novembro. O primeiro grupo registrou variação negativa de -0,02%. Exceto os itens rádio para automóvel, que se elevou em +8,2% e pneus que caiu -2,6%, os demais produtos do grupo não apresentaram variações positivas e negativas superiores a 2,5% em relação ao mês anterior. O segundo grupo registrou variação positiva de +0,01%. Nesse grupo, as maiores variações positivas nos preços foram dos itens revelação e cópia de fotos (+8,6%) e serviço de sapataria (+4,1%), enquanto, o item que apresentou maior variação negativa em seu preço foi aluguel de CD e DVD (-2,7%). Os demais itens desse grupo apresentaram variações positivas e negativas inferiores a 0,5%.

O grupo saúde e cuidados pessoais registrou redução média de -0,09% em relação ao mês de novembro. As maiores altas foram constatadas nos preços dos seguintes itens: (+11,8%), pente e escova de cabelo (+7,5%), remédios anti-infecciosos (+7,0%), preservativo masculino (+6,6%) e alicate e cortador de unha (+6,4%). As maiores quedas foram constatadas nos preços dos seguintes itens: aparelho de barbear descartável (-9,7%), remédios anti-inflamatórios e antireumáticos (-9,1%), papel higiênico (-7,6%), absorvente (-6,5%) e mensalidade de academia (-4,5%).

Educação foi o grupo que apresentou maior variação positiva no mês de dezembro, +2,2%, sua contribuição para a variação do ICVSM foi de +0,06%. Os itens que sofreram maior aumento em seus preços foram: preço de lápis e caneta (+7,1%), valor do crédito de curso do 3º grau (+6,1%), preço de curso de idioma (+5,7%), preço de curso pré-escolar (+4,9%) e mensalidade de curso de 1º grau (+2,5%). Enquanto os itens que mais variaram negativamente foram mensalidade de creche e cadernos escolares, com quedas de -0,9% e -0,4%, respectivamente.

Os reajustes anuais das instituições privadas de ensino superior favoreceram ao aumento médio nos preços desse grupo. Por fim, o grupo comunicação variou positivamente em +0,21% no mês de dezembro. Esse resultado decorreu da variação positiva do preço do minuto da ligação residencial internacional que se elevou em +15,9%, representando a maior alta nos produtos não alimentícios verificados. Por outro lado, a maior variação negativa nesse grupo ocorreu no preço TV por assinatura, que caiu -7,2% em relação ao mês anterior.

SUGESTÃO ADICIONAL – Vale a pena ler a íntegra do Boletim do ICVSM. Afora a discriminação completa desses dados, há textos de avaliação muito bem feitos pela equipe do Laboratório e do curso de Economia da Unifra.  CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo