EconomiaTrabalho

APOSENTADOS. Reajuste, em vigor desde janeiro, é levemente inferior à inflação. Mas…

No início de janeiro, o governo federal corrigiu o benefício da aposentadoria em 6,41%. Isto é 0,06% menos que a inflação acumulada do ano, anunciada mais tarde pelo IBGE. Não há perspectiva de aumento superior, pelo menos por enquanto, nem mesmo essa correção fracionada do reajuste.

Mas há reação. E já tem quem imagine a possibilidade de recorrer ao Judiciário – como informa, entre outras coisas, material publicado no jornal O Estado de São Paulo. A reportagem é de Edna Simão. Confira:

Reajuste de aposentadorias ficará abaixo da inflação

… O reajuste dos aposentados e pensionistas que ganham mais que o salário mínimo ficará abaixo da inflação neste ano. No início de janeiro, o Ministério da Previdência Social elevou o valor desses benefícios em 6,41%, porcentual equivalente à estimativa do governo para o acumulado em 12 meses do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Oficialmente, no entanto, o INPC acumulado foi de 6,47%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A expectativa dos aposentados era de que o governo passasse a corrigir os benefícios com base na inflação de 6,47%. Hoje (sexta-feira), no entanto, o Ministério da Previdência Social informou que não vai pagar a diferença. Insatisfeito com a decisão do governo, o presidente da Confederação Brasileira dos Aposentados e Pensionistas (Cobap), Warley Martins, já ameaça entrar com ação na Justiça para assegurar que os benefícios sejam corrigidos pela inflação acumulada de 6,47%.

A decisão do governo está em linha com o discurso de impedir novas pressões nas despesas, principalmente, depois de anunciar um corte de R$ 50 bilhões no Orçamento deste ano. Porém, se os aposentados realmente questionarem a matéria e ganharem a disputa judicial, o custo para as contas públicas pode ser muito maior do que fazer recomposição agora, de acordo com a avaliação de um técnico em previdência social…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

SIGA O SITÍO NO TWITTER

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

2 Comentários

  1. PSOL, PSTU e PSDB juntos. Isso dá nó em cientista político clássico. Para os que conseguem adicionar outros ingredientes, como o oportunismo e a falta de rumo, a explicação é tão óbvia que carece de maiores explicações.

  2. Qualquer pessoa um pouco mais crítica e não apoiadora do Governo Dilma, percebe o que está ocorrendo no Brasil atual.
    1º) – A inflação está de volta, os preços do mercado dispararam…
    2º – O Mantega e equipe estão perdidos…
    3º – O corte de 50 bilhões é em decorrencia dos gastos excessivos para vencer eleição e manter os camaradas no poder a qualquer custo. Tentam dizer “Nós do PT é quem somos Sociais Democratas agora…” E ganham gozação do PSOL, PSTU, parte do PSDB, etc…
    4º – Fora um monte de deputados e senadores do PT calados e que teriam que se posicionar perante MP imorais e não se posicionam, não é?
    5º Mais e mais…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo