ECONOMIA SOLIDÁRIA (19). Na abertura da Feira, a defesa de um modelo de desenvolvimento com base na solidariedade

ECONOMIA SOLIDÁRIA (19). Na abertura da Feira, a defesa de um modelo de desenvolvimento com base na solidariedade - eco-abertura

No palanque oficial, embora representado, notada foi a ausência do prefeito Schirmer

Abertura da Feira de Economia Solidária reuniu dezenas de autoridades

POR Maiquel Rosauro (texto e foto)

ECONOMIA SOLIDÁRIA (19). Na abertura da Feira, a defesa de um modelo de desenvolvimento com base na solidariedade - selo-feicoop-b9A abertura oficial da 7ª Feira de Economia Solidária do Mercosul e 18ª Feira Estadual do Cooperativismo (Feicoop) foi o ponto de encontro de diversas autoridades gaúchas, na tarde desta sexta-feira. O evento ocorreu no Centro de Referência em Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter.

Esteve presente no ato o governador do Rio Grande do Sul Tarso Genro, os deputados federais Paulo Pimenta e Dionilso Marcon, além dos deputados estaduais Valdeci Oliveira, Jorge Pozzobon e Edegar Pretto. A Assembleia Legislativa gaúcha foi representada pelo seu presidente, o deputado estadual Adão Villaverde. Já a presidência da República foi representada por Geder Luiz Gomes. A Prefeitura Municipal de Santa Maria foi representada pela secretária de Turismo, Norma Moesch. Secretários do governo do Estado, vereadores e representantes de municípios da região também marcaram presença.

A primeira autoridade a discursar foi o arcebispo de Santa Maria, Dom Hélio Rubert. Ele destacou o crescimento da feira.

– Aos poucos, a feira se torna de dimensão nacional e internacional. É um grande braço do Fórum Social Mundial – afirmou o arcebispo.

Em seu pronunciamento, a coordenadora do Projeto Esperança/Cooesperança, irmã Lourdes Dill, ressaltou que a feira cresce com um novo modelo de desenvolvimento econômico, com base na solidariedade e o empreendedorismo. Ela também pediu uma ajuda ao governador.

– Quero que o senhor seja nosso porta-voz junto à presidente Dilma – solicitou irmã Lourdes.

Já o presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, Adão Villaverde, ressaltou a força da feira.

– O evento é a afirmação de que este movimento precisa ser levado para todo o país de forma objetiva e possibilitando a criação de novas políticas públicas – argumentou o deputado.

O governador Tarso Genro foi a última autoridade a se pronunciar. Ele disse que as diretrizes da feira seguem as mesmas linhas de seu governo.

– O próximo passo para consolidar a mudança (econômica defendida pelo Projeto Esperança/Cooesperança) é reforçar a economia que está na base da sociedade, que agrega não apenas valor econômico, mas também valor moral – projeta Tarso.

A 7ª Feira de Economia Solidária do Mercosul e a 18ª (Feicoop) iniciaram na manhã desta sexta-feira. Antes da abertura oficial do evento, foi realizada a 7ª Caminhada Internacional e Ecumênica pela Paz. Até domingo, ainda ocorre em paralelo a 11ª Mostra da Biodiversidade e Feira de Agricultura Familiar; 7º Seminário Latino Americano de Economia Solidária e 7º Levante da Juventude.

OBSERVAÇÃO: Maiquel Rosauro é da assessoria de imprensa do evento.

SIGA O SITÍO NO TWITTER



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *