Política

FORMIGUEIRO. Ex-prefeito não assina documentação junto à Funasa e município perde verba de 1,8 milhão

POR MAIQUEL ROSAURO

Matéria publicada no site do jornal Correio do Povo:

Município da região Central perde R$ 1,8 milhão para abastecimento de água

O município de Formigueiro, na região Central do Estado, perdeu R$ 1,8 milhão para investir em redes de abastecimento de água. O recurso foi liberado pela Fundação Nacional de Saúde (Funasa) em 28 de dezembro, mas a documentação chegou à prefeitura somente no dia 11 de janeiro. A Funasa sustenta que o ex-prefeito João Natalício da Silva (PP) perdeu o prazo para assinar a documentação, já que o acordo foi firmado quando ele ainda era o chefe do Executivo.

“Eu não tenho mais competência jurídica. Onde é que se viu assinar alguma coisa com data retroativa, um documento público? É um crime, uma falsidade ideológica. E o município não perde, ela pode repactuar para este ano. Eu consultei vários advogados”, justificou Natalício. O ex-prefeito entende que a situação quer, agora, criar um “fato político” e garante que tinha a intenção de assinar o documento, que não chegou a tempo.

De acordo com a Funasa, com a recusa do ex-prefeito a cidade não vai mais receber mais a verba, suficiente para beneficiar 770 pessoas das comunidades Cerro do Loro, Cerro do Formigueiro, Arueira e Timbaúva, todas da zona rural. “O dano que ele causa é um dano do mundo da política, de uma irracionalidade incompreensível”, lamentou Gustavo de Mello, da Funasa.

Clique aqui para ler a matéria completa no site do Correio do Povo.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo