ReligiãoSanta MariaTragédia

TRAGÉDIA. Padre Lauro depõe segunda à polícia e corre o risco de responder por “falsidade ideológica”

O padre e escritor Lauro Trevisan já está intimado oficialmente pela polícia. Ele será ouvido na próxima segunda-feira, para explicar passagens do seu livro “Kiss, uma porta para o céu”. Quem vai ouvi-lo é o delegado Sandro Meinerz, um dos coordenadores de toda a investigação sobre a tragédia de 27 de janeiro.

Ouvido pela repórter Lizie Antonello, do Diário de Santa Maria, Meinerz declarou que “se ficar comprovado que ele faltou com a verdade”, poderá ser responsabilizado por “falsidade ideológica”. Leia mais, a seguir:

 “Padre Lauro irá depor na segunda-feira sobre livro “Kiss, uma porta para o céu”

A Polícia Civil intimou, na tarde desta quarta-feira, o padre Lauro Trevisan, autor de Kiss, Uma Porta Para o Céu para prestar esclarecimentos. Ele irá prestar depoimento à Polícia Civil na segunda-feira, às 14h.

O pedido formal para que o padre fosse ouvido pela polícia foi feito pela Associação dos Familiares das Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria. 

Segundo o delegado Sandro Meinerz, os familiares pedem esclarecimento em relação a alguns trechos do livro que conteriam declarações falsas…

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

6 Comentários

  1. Ok, errei a tua profissão. Confundi e explanei. Deveria ter investigado melhor, mas te exclui do facebook quando começou o bombardeio de camapnha eleitoral. A questão que apresentei é que tu trabalhando na prefeitura deve ver e saber coisas que vão contra muitas regras e que não são exclusividade desta gestão.

  2. AO SR. LEANDRO PASSOS para sua informação eu sou Acadêmica em Direito na UNIFRA, no 5º semestre, não escreva ou fale o que não sabe, eu acho que o PE escreveu algo impróprio, mas não ao ponto de cometer um crime e ainda por cima doloso, ele te a intenção de prejudicar as famílias?. E no que diz respeito as famílias, também tenho amigos, que perdi, mas daí a tirar o foco das responsabilidades tem muita diferença. Eu não combato esse, governo ou aquele governo, eu defendo as minhas convicções, e no que acredito, eu quero que a dor das famílias seja respeitadas, mas pelo viés da justiça e não só do direito. Sou funcionária pública concursada, e não precisei nunca de padrinhos políticos, para obter emprego, renda e banquete, e ter que puxar o saco de qualquer um, para conquistar o estudo que eu tenho, pode ter certeza nenhum político sentou ao meu lado nas noites e dias que passei estudando para ter de forma integra o meu pão de cada dia!!!

    E ao Sr. vulgo JACI, nada a comentar, tenho asco de quem tem medo de se identificar e usa pseudônimo, para mim isso é sinônimo de medo, mas como estamos numa democracia, eu respeito até os direitos dos medrosos.

  3. Valeska

    Quer dizer que familiares e vítimas estão em uma estrada incorreta?
    qual a estrada correta que DEVEMOS voltar?
    fale por ti, na primeira pessoa do SINGULAR. Senão o que tu disse quer dizer que tem gente no caminho errado. Respeite os familiares.
    O sr. Trevisan podia ter oferecido apoio e amparo como padre que afirma ser, mas preferiu os beneficios da venda de mais um livro. está na policia n4ao pelo livro, mas pelas entrevistas.
    quem sabe tu escreve um livro cheio de alegorias e adereços: Voltando ao Caminho Correto de Mãos Dadas com o Padre. Pode usar o título, presente meu pra ti.

  4. Valeska, tu é economista e não advogada ou juíza. Deixa que eles decidam se há ou não a falsidade ideológica. Se tu respeita as famílias das vítimas, acate isso sobre o padre como um pedido delas, assim como eles estão exigindo e cobrando a CPI. Garanto que tu sabe muita coisa dos bastidores da prefeitura e não faz a tua parte já que é tão combativa assim contra o atual governo. Existem práticas que hoje fazem que na gestão do teu partido também aconteciam ou tu acha que jeitinhos são exclusividade desta gestão??? Poupe-me ok. A propósito, quero que o Reizinho Mandão receba o que merece também.

  5. Que eu saiba livros são feitos de ficção e alegorias também. Essa( falsidade ideológica) é forçada, vão sair do foco dos verdadeiros responsáveis, para dar conversa para um livro, só no Brasil mesmo, tá certo que ele até pode ter aproveitado o momento para vender mais um livro, concordo, mas ele não libera álvaras e nem fecha casa noturnas, e muito menos trocou favores por votos. Quando muito uma retratação, ou retirar os trechos, que podem ferir as pessoas, ou mesmo retirar o livro, ou escrever outro livro pedindo desculpas, ou sei lá mas…. “falsidade ideológica” é forçar…então temos que retirar muitos livros, milhares com “falsidade ideológica”. Se é para tirar o foco das autoridades parece que estão conseguindo. Acho que devemos repensar nossos valores éticos e morais, para que a hipocrisia não enterrem mais jovens inocentes, e deixem dezenas de ,mães sem seus filhos. Punam os verdadeiros responsáveis… não percam o foco. Se não estaremos voltando a idade medieval de caça as bruxas. Estamos todos desolados, cansados, perdemos amigos, companheiros, creio que devemos achar de volta a estrada correta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo