POLÍTICA. Prefeitura mede o risco de limar os CCs de Anita, Deili e Tavores. Afinal, o que é ruim pode piorar

POLÍTICA. Prefeitura mede o risco de limar os CCs de Anita, Deili e Tavores. Afinal, o que é ruim pode piorar - câmara1

Deili e Tavores (ao fundo) foram decisivos na troca de comando. Agora, podem perder CCs

É a lei do tal de Murphy. O que está ruim sempre pode ficar pior. Vale, sim, também para a política. E é particularmente citada nesse enrosco que envolve a base do governo na Câmara de Vereadores e os articuladores do Palacete da SUCV.

Se depender da vontade de alguns, mais xiitas, os ocupantes de Cargos de Confiança no Executivo, indicados pelo trio que se bandeou para a oposição, garantindo a ela o comando político-administrativo do Parlamento, serão limados imediatamente. Não seriam muitos, ao que consta. Não mais que uma dezena, inclusive parentes próximos de pelo menos dois integrantes do grupo: Deili Granvile (PTB) e Anita Costa Beber (PR). O outro, Tavores Fernandes (DEM), também indicou CCs para a administração, mas sem laços, mesmo distantes, de afeto.

A vereadora Anita, no mesmo dia em que trocou de lado, na Câmara, quinta-feira passada, declarava a quem quisesse ouvir (e vários jornalistas escutaram e registraram) que o problema era no Legislativo, e nada tinha a ver com o apoio – que pretende manter – ao governo do prefeito Cezar Schirmer, Vai daí que, como disse alguém ao editor no final de semana, há quem duvide na dispensa sumária dos CCs por ela indicados. Valendo o mesmo, claro, para Deili e Fernandes.

A razão é uma só: se está ruim, com a perda (bastante lamentada, doída e até xingada) da direção da Câmara de Vereadores, pode ficar muito pior. Como? Simples, se perderem os CCs que têm na prefeitura, tanto Anita, quanto Deili e Fernandes, se sentirão completamente descompromissados com o governo e, portanto, votar com a oposição.

Se diz, com razão aritmética, que a meia dúzia, ou pouco mais, de CCs dos três significam quase nada para a administração. Mas, para os que indicaram, são exatamente 100%. E que, perdidos, podem virar um caso político muito maior e acabar, de vez, com a maioria (agora tênue) governista no Legislativo.

Assim, não é desprovida de lógica a ideia de isolar os CCs de quaisquer responsabilidades maiores no Executivo. Mas demiti-los? Só se os xiitas insistirem muito e depois de devidamente avisados das consequências. Tudo isso a conferir, logo nos primeiros dias de janeiro. Ou nos últimos, de vez que a palavra definitiva deve mesmo vir através de Cezar Schirmer, atualmente em férias, e só retorna no meio do mês.



4 comentários

  1. GEF

    Lei de Murphy é “se alguma coisa pode dar errado, irá dar errado”. Como toda lei, veio para o Brasil para ser avacalhada.

  2. ELENARA TEIXEIRA

    É bem assim: Mal me quer, Bem me quer, quem não quer tem quem quer, mais ainda na política …. ahaahahahahah!!

  3. Elton

    O problema maior não é ser de situação ou oposição….essas rusgas políticas só servem pra prejudicar a população. E digo mais, parece que o povo na hora de votar está esquecendo do passado de alguns vereadores…Alguém lembra de um vereador indo para cabeleireiro com carro executivo da câmara de vereadores? esqueceram as compras no Paraguai}? LA-MEN-TÁ-VEL!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *