CidadaniaCongressoInternet

CIDADANIA. Espaço “Hacker” aberto na Câmara dos Deputados. Objetivo: aumentar a participação popular

Pimenta foi o único a participar da Hackathon. Do debate surgiu a ideia do LabHacker
Pimenta foi o único a participar da Hackathon. Do debate surgiu a ideia do LabHacker

É, sim, uma boa iniciativa. Pelo menos é um espaço que garante possibilidades de participação da cidadania nas atividades dos parlamentares. Foi inaugurado hoje, na Câmara dos Deputados, o chamado Laboratório Hacker. Entre os presentes, um dos seus idealizadores, o santa-mariense Paulo Pimenta. Mais detalhes do que houve hoje e do próprio espaço “Hacker” chegam através da assessoria de imprensa do parlamentar. A foto é de Fabrício Carbonel. Acompanhe:

Câmara dos Deputados inaugura Laboratório Hacker

Em solenidade na manhã de hoje (19), a Câmara dos Deputados inaugurou o Laboratório Hacker, espaço permanente destinado a programadores que terão o desafio de desenvolver sistemas e aplicativos que facilitem a fiscalização das ações do Congresso Nacional e amplie a compreensão do processo legislativo. Para marcar a inauguração, o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS), um dos parlamentares idealizadores do LabHacker, e o Presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), receberam passaportes hackers, como forma de simbolizar esse “novo olhar” da Câmara às iniciativas de transparência e de controle da sociedade sobre os congressistas.

De acordo com Pimenta, o Parlamento brasileiro servirá de referência para os demais países, já que a iniciativa é pioneira no mundo. “Nenhum outro Parlamento ou até mesmo órgão do executivo, até hoje, ousou tanto com um ambiente semelhante ao que foi criado em nosso País”, enfatizou Pimenta.  

O Laboratório Hacker, que poderá ser utilizado por qualquer cidadão, dá prosseguimento ao Hackathon – ou Maratona Hacker – experiência desenvolvida pela Câmara dos Deputados em outubro do ano passado que reuniu programadores de todo o Brasil. Na oportunidade, o deputado Paulo Pimenta foi o único parlamentar convidado para integrar a comissão do Hackathon, e durante as discussões do evento foi que surgiu a ideia do Laboratório Hacker.”

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. Ótima iniciativa. Agora é só esperar que os governos comecem a liberar dados (importantes) em formatos livres e que permitam que esses dados sejam processados pelos nossos “hackers”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo