Estado

EMERGÊNCIA. Governo vai a Brasília atrás de troco para a recuperação. 134 municípios estão habilitados

Iraí, no norte do Estado, é uma das duas cidades gaúchas em situação de calamidade
Iraí, no norte do Estado, é uma das duas cidades gaúchas em situação de calamidade

Na antevéspera da provável chegada de novas chuvas (que tendem a ser fracas e sem causar os mesmos prejuízos), as águas seguem baixando nos municípios em situação de emergência no Rio Grande do Sul. É o que informa MATERIAL assinado por Euclides Bitelo, da assessoria de imprensa do Palácio Piratini, que dá conta também do aumento do número de comunas que decretaram emergência – agora são 142.

Há duas, Barra do Guarita e Iraí, em que a situação ficou ainda mais complicada e o estado decretado é de Calamidade Pública. Também segue se reduzindo o número de gauchos for a de casa – seja desabrigados ou em casas de parentes e amigos. Hoje são 7.787, conforme apuração da Defesa Civil.

Enquanto isso, no front politico, depois da decretação coletiva do Estado de Emergência, o governo vai a Brasília em busca de recursos para sanar os problemas e bancar a recuperação das comunas. Sobre isso, especificamente, acompanhe o material proveniente da imprensa do Palácio Piratini. As fotos são de Claudio Fachel (acima) e Gustavo Gargioni (abaixo). A seguir:

Plano de resposta às enchentes será entregue em Brasília nesta quarta-feira

Reunião examinou os documentos que subsidiam os pedidos a ser formalizados amanhã
Reunião examinou os documentos que subsidiam os pedidos a ser formalizados amanhã

Dos 142 municípios em situação de emergência no Rio Grande do Sul, incluindo dois em estado de calamidade, devido às chuvas e enchentes, 134 encaminharam a documentação solicitada para elaboração do Plano de Resposta Estadual, que será entregue pelo governador Tarso Genro em Brasília, nesta quarta-feira (16). O documento, com detalhamento da situação no Rio Grande do Sul e a solicitação de recursos para o socorro às áreas atingidas, será recebido pela ministra do Planejamento, Miriam Belchior, em audiência às 10h30.

Embora o prazo fosse a meia-noite de segunda-feira, na manhã desta terça-feira (15) a Sala de Situação das Chuvas, no Palácio Piratini, ainda estava recebendo os relatórios com detalhamentos dos estragos, prejuízos e necessidades mais urgentes dos municípiosem emergência. Istoé imprescindível para que as prefeituras possam depois receber do Estado o repasse dos recursos da União para ações de socorro, restabelecimento de serviços essenciais e de caráter emergencial.

A secretária estadual da Assessoria Superior do Governador, Mari Perusso, o secretário estadual do Gabinete dos Prefeitos e Relações Federativas, Jorge Branco, o secretário estadual do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, Elton Scapini, e o secretário-chefe da Casa Militar e coordenador estadual da Defesa Civil, coronel Oscar Luis Moiano, reuniram-se à tarde para exame dos documentos e finalização do plano de resposta. Serão pleiteados recursos para ações de emergência e recuperação de serviços essenciais, incluindo a restauração de estradas vicinais e rodovias estaduais.

Scapini adiantou que a SDR está agendando uma audiência conjunta, na capital federal, com os Ministérios do Desenvolvimento Agrário (MDA), do Desenvolvimento Social (MDS), da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e também da Pesca, para tratar do atendimento a sete mil pequenos produtores rurais que tiveram suas propriedades atingidas pelas inundações, dentre eles, três mil pescadores…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

 

ATENÇÃO


1) Tua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo