CinemaCultura

MIZOGUCHI. Bianca Zasso e a porta para os que acham que filme japonês não é para qualquer público

foto bianca chamada“…Contos da lua vaga vai além do cinema fantástico e aproxima a obra de Mizoguchi tanto do realismo mágico imortalizado pelo diretor italiano Federico Fellini quanto dos filmes de terror japoneses, que costumam ter como bases tradições e lendas do período feudal nipônico. A delicadeza com que o diretor explora a paisagem, transformando-a num reflexo da alma dos personagens é apenas um dos pontos altos do filme. O que poderia ter se tornado uma sucessão de efeitos especiais ou simplesmente uma trama sobre fantasmas que atormentam os vivos, tornou-se um conto sobre ganância com um toque surreal. Aliás, todos sabemos que até a mais comum das existências tem seus momentos inexplicáveis.

Mesmo sendo um dos mestres na arte das imagens, Kenji Mizoguchi foi um homem preocupado com os sentimentos, desde os mais simples até os que nem Freud explica. Seu…”

CLIQUE AQUI  para ler a íntegra de “Um conto de ambição”, da jornalista Bianca Zasso,colaboradora deste sítio. Formada pelo Centro Universitário Franciscano, suas opiniões e críticas exclusivas estão disponíveis todas as quintas-feiras. O tema prioritário é Cinema, pelo qual é uma apaixonada.

ATENÇÃO


1) Tua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo