CampoEconomiaEstado

CAMPO. Em evento tradicional, Sartori abre colheita da soja – que chegará a 15 milhões de toneladas no RS

Sartori, produtores e políticos ligados ao agronegócio. Todos juntos em Tupanciretã, ontem
Sartori, produtores e políticos ligados ao agronegócio. Todos juntos em Tupanciretã, ontem

É o maior produto agrícola do Rio Grande do Sul. Fundamental, quando vai bem, para a economia gaúcha. Isso, por si só, seria suficiente para explicar a presença de todos os governadores, desde antanho, à tradicional solenidade de abertura da colheira, que acontece em Tupanciretã, 90 quilômetros ao norte de Santa Maria.

Não foi diferente neste sábado, quando aportou à região, com um séquito de seguidores politicos e ligados ao agronegócio, o governador José Ivo Sartori. No evento também se ficou sabendo que teremos mais uma safra recorde, na casa dos 15 milhões de toneladas, como você pode conferir no material produzido pela Coordenação de Comunicação do Palácio Piratini. A reportagem é de Gabriela Alcantara (texto) e Luiz Chaves (foto). A seguir:

A cadeia produtiva da soja tem a nossa parceria, afirma Sartori na abertura oficial da colheita

A produção de soja no Rio Grande do Sul deve atingir a marca inédita de 15 milhões de toneladas em 2015. A estimativa foi confirmada neste sábado (28), durante a 8ª abertura da colheita do grão, em Tupanciretã. O município, localizado na área central do Estado, é considerado a capital gaúcha da soja, com mais de 140 mil hectares de área de cultivo, com produção prevista em 50 sacas por hectar e renda estimada em cerca de R$ 468 milhões. A abertura simbólica da colheita contou com a presença do governador José Ivo Sartori, que pilotou uma colheitadeira na propriedade que sediou o evento – de Dorival Lima Terra, às margens da RSC-392.

Ao ser recepcionado pelo prefeito, Carlos Augusto Brum de Souza, Sartori destacou que o setor primário é a grande mola propulsora da economia gaúcha e brasileira e terá papel ainda mais decisivo neste ano de 2015. “Em toda minha trajetória política, nunca fui de ficar trancado em gabinete e não será diferente agora como governador. É aqui, na lavoura, próximo ao Rio Grande que dá certo, que venho buscar inspiração para nossa missão no governo. A cadeia produtiva da soja pode contar com a nossa parceria”, destacou.

Segundo dados da Secretaria Estadual da Agricultura e Pecuária, o Rio Grande do Sul possui 5,1 milhões de hectares de área plantada com grãos. A falta de chuvas tem afetado lavouras na região das Missões e noroeste do Estado. Nas demais áreas, não houve relatos de adversidades climáticas mais significativas para a cultura. “O nosso papel é estimular o setor produtivo, a fim de proporcionar melhores condições para os homens e mulheres que tiram da terra o seu sustendo. Novas tecnologias, máquinas e equipamentos modernos, assistência técnica e informação são ferramentas fundamentais para o crescimento”, destacou o secretário estadual da Agricultura e Pecuária, Ernani Polo…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo