Santa MariaSegurança

NÃO CUSTA LEMBRAR. Uma entrevista com Arigony e as soluções possíveis para reduzir a criminalidade

Confira a seguir trecho da nota publicada na manhã de 20 de abril de 2014, domingo:

VIOLÊNCIA. A solução para frear os homicídios em SM

Em entrevista ao repórter Tiago Baltz, do jornal A Razão, o delegado regional Marcelo Mendes Arigony falou sobre a onda de violência e o que fazer para derrubar a quantidade de homicídios em Santa Maria. Leia na matéria abaixo:
Homicídios caem com investimento social

Há três anos à frente da Polícia Civil de sua terra natal, o delegado regional Marcelo Mendes Arigony já enfrentou inúmeros desafios, como a investigação do incêndio da Boate Kiss e mais recentemente o aumento nos números de homicídios e latrocínios na cidade. Neste anos já foram 23 homicídos e 5 latrocínios em Santa Maria, totalizando 28 assassinatos até o fechamento desta edição. Em todo 2013, a cidade registrou 40 mortes violentas.

O ‘surto de violência’ que Santa Maria vive em 2014 preocupa. Mas, para Arigony, os principais problemas e as soluções estão fora da esfera policial. Para ele, a redução efetiva de roubos e crimes contra a vida só acontecerá com…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI    

PASSADO EXATAMENTE UM ANO da publicação da nota, é verdade que houve uma redução no número de homicídios, se considerado o mesmo período de 2014. No entanto, as soluções permanentes só vêm mesmo no longo prazo. Mas vale, e muito, reler a entrevista.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo