Câmara de VereadoresEleições 2016PartidosPolítica

CÂMARA. Que ninguém duvide: até outubro, a dança das cadeiras poderá ocorrer, com dois partidos novos

Cláudio Rosa, em foto no dia da saída, pode retornar. Depende do TSE. Nesse caso, quem…
Cláudio Rosa, em foto no dia da saída, pode retornar. Depende do TSE. Nesse caso, quem…

Dentro de poucos dias, a 20 de maio, fecharão dois anos do discurso de despedida do vereador Claudio Rosa, do PMDB. Ele acabava de ter seu mandato confiscado pela Justiça Eleitoral. Vários recursos houve e acredita-se que ainda este ano a última instância, o Tribunal Superior Eleitoral, possa se manifestar. Quem sabe, até, favorecendo ao edil que deixou o parlamento com a solidariedade dos colegas.

Uma eventual vitória jurídica de Rosa pode significar a primeira de várias mudanças possíveis na Câmara de Vereadores, com a saída do suplente Cezar Gehm. Mas não é disso que se trata aqui, apenas, senão que do cenário politico que se monta e, ninguém duvide, significaria uma modificação bem maior no Legislativo.

Para começar, parece cada vez mais claro que o PSB e o PPS redundarão num novo partido, o tal PSB40 (nome provisório). E a fusão do DEM com o PTB também significará uma nova agremiação, ainda sem nome definido. As duas novas siglas, quaisquer que forem, serão o desaguadouro natural dos descontentes, no espectro que vai do centro à direita, ideologicamente. Quem sabe impactando, inclusive, no pleito do próximo ano.

…sairia do parlamento municipal é o suplente, hoje titular, Cezar Gehm. Ambos são do PMDB
…sairia do parlamento municipal é o suplente, hoje titular, Cezar Gehm. Ambos são do PMDB

Há descontentamentos claros no Partido Progressista, abalado pela Operação Lava Jato que, embora ainda na fase de investigação (o que significa inocência, em princípio), levou de roldão boa parte da credibilidade de vários deputados e fez transbordar desagrados no território gaúcho em geral, e santa-mariense em particular. Ninguém diz em público, mas, se pudessem pelo menos um ou dois dos edis se mandariam. Os novos partidos seriam a chance de sair sem perder o mandato. Tanto o PSB40 quanto o DEM/PTB, por sua formulação política atual, cairiam bem nos que pretenderiam novos ares.

A vantagem, aqui, do demismo/peteba, é que há uma estrutura montada. E mais: com a maior bancada da casa, ombreando com PMDB e PT, todos com quatro cadeiras. Isso, claro, se não houver defecção na união democrata/trabalhista, pois ali há quem simplesmente não consegue conviver um com o outro. Até porque, no caso de partidos novos, a porta de entrada é a mesma da saída. Então…

EM TEMPO: todas essas modificações, exceto a que possa ser provocada pelo Tribunal Superior Eleitoral e seu julgamento, se darão até ao apagar das luzes do prazo legal, 2 de outubro. Ou não se darão mais, pois impossibilitará o trânsfuga de concorrer em 2016.

OBSERVAÇÃO: as fotos que ilustram essa nota foram retiradas do perfil, no Feicebuqui, dos dois retratados.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo