Câmara de VereadoresPolítica

CÂMARA. Ex-assessoras e vereadora reafirmam os depoimentos dados no processo judicial contra Maciel

Comissão Processante ouviu nesta sexta, os depoimentos mais aguardados no processo,...
Comissão Processante ouviu nesta sexta, os depoimentos mais aguardados no processo,…

Era grande a expectativa em torno do depoimento de Cleonice Pedroso e Silvana Martins Moreira, e da vereadora Anita Costa Beber, no processo ético conduzido por uma comissão da Câmara. Pois as três confirmaram, diante dos integrantes do colegiado, o depoimento já concedido à Justiça, que condenou João Carlos Maciel em processo que já está em fase final de recurso.

Para saber mais do que aconteceu no Legislativo, nesta sexta-feira, confira o material produzido pela assessoria de imprensa da Câmara, assinado por Clarissa Lovatto Barros e Camilla Milder. A seguir:

Comissão processante realiza oitiva de testemunhas

...eles o da vereadora Anita Costa Beber
…entre eles o da vereadora Anita Costa Beber

A Comissão Processante instalada para investigar a procedência da denúncia de possível infração política-administrativa cometida pelo vereador João Carlos Maciel realizou, na manhã desta sexta-feira (13) a oitiva de três testemunhas indicadas por Tiago Aires, autor da representação contra o vereador Maciel. Robson Zinn, advogado de Maciel; Glauber Rios, procurador jurídico da Câmara e o denunciante Tiago Aires acompanharam os trabalhos da Comissão. 

A primeira testemunha, Cleonice Kummel Pedroso, afirmou que o vereador solicitava parte do salário que recebia como chefe do setor de compras do Legislativo, cargo ocupado por indicação de Maciel. Cleonice relatou que o repasse da metade do salário ao vereador era obrigatório e acontecia mensalmente. Questionada pela Comissão, a testemunha informou que decidiu gravar, em seu celular, o pedido de dinheiro porque o vereador a humilhava. 

A segunda testemunha, Silvana Martins Silveira, declarou à Comissão que o vereador Maciel realizou uma reunião na sede do programa, informando que ela seria oficial de gabinete da presidência e que a metade do salário deveria ser destinada, mensalmente, a ele. Silvana informou que Cleonice gravou o vereador pedindo parte do salário por livre e espontânea vontade, pois estava cansada de ser humilhada. 

A terceira testemunha, vereadora Anita Costa Beber, relatou que possuía conhecimento que um assessor do vereador trabalhava como motorista do caminhão do programa social. Anita reiterou as declarações prestadas ao Ministério Público.

Na próxima semana, a Comissão Processante, formada pelos vereadores Paulo Airton Denardin (presidente), João Kaus (vice-presidente) e Manoel Badke (relator), realiza mais oitivas. “

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

 

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo