PESQUISA. Todo mundo gostou. Ou ao menos achou alguma coisa positiva. Até quem não está na dianteira

PESQUISA. Todo mundo gostou. Ou ao menos achou alguma coisa positiva. Até quem não está na dianteira

PESQUISA. Todo mundo gostou. Ou ao menos achou alguma coisa positiva. Até quem não está na dianteira - pesquisa-3Por JOYCE NORONHA, no jornal A Razão

Depois da pesquisa eleitoral, encomendada em parceria pelo Jornal A Razão, a Câmara de Comércio, Indústria e Serviços (Cacism) e o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon), a reportagem foi conversar com os pré-candidatos sobre os resultados do levantamento em relação ao primeiro turno.

JORGE POZZOBOM (PSDB)
“É evidente que ficamos felizes. Isso mostra que temos responsabilidade com a sociedade. Só que pesquisa não significa vitória. Recebemos com muita humildade e seguimos o trabalho”.

VALDECI OLIVEIRA (PT)
“Gostei muito da pesquisa e o resultado nos dá energia para continuarmos animados. Sempre tive animação, agora vou ter mais. Trabalhamos para melhorar, sempre em nome da cidade”.

FABIANO PEREIRA (PSB)
“Ficamos muito satisfeitos. A pesquisa é um retrato do momento. Depois que a população ouvir as nossas propostas, os resultados vão mudar e nós ficaremos mais felizes”.

MARCELO BISOGNO (PDT)
“Gostei muito. Vejo que somos a única chapa com real possibilidade de crescimento”.

WERNER REMPEL (PPL)
“Achei a pesquisa muito positiva. Na espontânea e na rejeição, que são os dados que interessam, estamos bem colocados. São dados estimulantes para seguirmos com o trabalho”.

JADER MARETOLLI (SDD)
“O resultado foi bom. Nós ainda não tivemos a chance de apresentação e recebemos 1% dos votos. Além disso, ficamos com a menor rejeição. Nosso potencial é muito grande”.

ALCIR MARTINS (PSOL)
O pré-candidato não atendeu aos contatos telefônicos. Segundo a coordenação de campanha de Alcir, o psolista estaria em viagem. Até o fechamento desta edição, ele não retornou as ligações.

A PESQUISA
A pesquisa foi feita pelo Instituto Methodus, de Porto Alegre, e ouviu 400 pessoas, entre 18 e 65 anos.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *