Destaque

PAPO SANTO. Na 2ª edição do piloto do programa, há um ser humano por trás do jornalista. Mote é a Kiss

Bibiano, Tatiana, Roese e Claudemir: o “Papo Santo” trata da tragédia da Kiss. Mas, para além disso, fala do trabalho dos jornalistas
Bibiano, Tatiana, Roese e Claudemir: o “Papo Santo” trata da tragédia da Kiss. Mas, para além disso, fala do trabalho dos jornalistas

Gravado no mês de abril, assim como o primeiro programa (disponível AQUI), a segunda edição do  Papo Santo faz parte de um projeto piloto do www.claudemirpereira.com.br. A ideia é tratar de temas ausentes da programação normal das emissoras de rádio da cidade.

Neste programa, especificamente, o assunto – tomando por base a cobertura da tragédia da Kiss – foi o jornalista e sua atividade, que não raro faz o cidadão comum imaginar tratar-se de alguém que deva ser immune ao fato que noticia.

Para tratar disso e, mais ainda, deixar claro que, por trás do professional, existe, sim, um ser humano, os convidados são os jornalistas Tatiana Py Dutra (do Diário de Santa Maria) e Luiz Roese (à época da tragédia atuando no jornal A Razão e no portal Terra). Também participam Bibiano Girard, que coordena e ancora o “Papo Santo”, e este editor.

PARA OUVIR O “PAPO SANTO”, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo