PARTIDOS. Dois debates já programados tendem a esquentar a eleição para o novo comando dos petistas

PARTIDOS. Dois debates já programados tendem a esquentar a eleição para o novo comando dos petistas

PARTIDOS. Dois debates já programados tendem a esquentar a eleição para o novo comando dos petistas - petistas

Petistas escolherão, em 9 de abril, entre Helen Cabral e Alex Monaiar, dois candidatos com militância reconhecida no partido em Santa Maria

Por JOSÉ MAURO BATISTA (com fotos de Reprodução), Especial para o Site

A eleição da nova direção do Partido dos Trabalhadores (PT) em Santa Maria, marcada para o próximo dia 9 de abril, das 9h às 17h, promete ser uma das mais disputadas dos últimos anos. Duas chapas concorrem ao comando municipal.

Uma das composições é encabeçada pela professora Helen Cabral, ex-vereadora, ex-candidata a prefeita e ex-candidata a vice-prefeita (concorreu ao lado de Valdeci Oliveira, no pleito de outubro do ano passado). A outra tem na liderança Alex Barcelos Monaiar, ex-coordenador do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFSM, formado em piscologia e primeiro suplente de vereador.

Candidata da corrente PT Amplo, Helen tem apoio do deputado federal Paulo Pimenta (líder local da tendência) e do deputado estadual Valdeci Oliveira. Monaiar representa as correntes Avante (ligada à deputada federal Maria do Rosário), Articulação de Esquerda (do deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa, Edgar Pretto) e Democracia Socialista (do deputado estadual Jeferson Fernandes).

Antes das eleições os petistas terão duas oportunidades de confrontar as propostas das duas chapas em debates internos (só para filiados). O primeiro debate está marcado para as 19h do próximo dia 29 (o local ainda não foi confirmado). Já o segundo debate, que reunirá o chamado Núcleo da UFSM, está previsto para o dia 5 de abril, também às 19h, em local a ser definido.

Maior sigla de esquerda do país, o PT vive uma crise sem precedentes por conta de escândalos envolvendo os governos dos ex-presidentes Luis Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, principalmente denúncias apuradas no âmbito da Operação Lava Jato.

Mesmo defendendo Lula e Dilma, os grupos locais buscam se desvincular do chamado “campo majoritário”, que comanda o partido em nível nacional, e integram o Movimento Muda PT. Apesar das duas chapas serem compostas por correntes claramente antagônicas, o atual presidente do PT/SM, Sidinei Cardoso, garante que o clima é tranquilo.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *