MÍDIA. Jornalista da TVE ameaçado de demissão por crítica em comentário postado em nota do Feicebuqui

MÍDIA. Jornalista da TVE ameaçado de demissão por crítica em comentário postado em nota do Feicebuqui - tve

O jornalista Alexandre Leboutte, na Câmara Municipal, onde a proposta de tombamento da TVE e FM Cultura foi rejeitada por 14 votas a 11

Do site do JORNAL JÁ, com foto de Divulgação

O presidente da Fundação Piratini, Orestes de Andrade Junior, nomeou uma Comissão de Processo Administrativo Disciplinar para apurar a falta funcional do jornalista Alexandre Leboutte, por comentários feitos no Facebook.

Claudio Robes do Nascimento, Luiz Gustavo da Rosa Morais e Marcelo Vasconcelos da Silva integram a comissão que tem 30 dias para apurar os fatos, que podem levar à demissão, por justa causa, de Leboutte, funcionário concursado com 20 anos no serviço público.

O ato foi publicado no Diário Oficial do dia 31 de março de 2017. A comissão tem 30 dias a partir daí para apresentar suas conclusões.

O presidente da Fundação Piratini se considera ofendido por comentários feitos por Leboutte no Facebook a respeito de uma reunião com o jornalista Juarez Fonseca. Ele recebeu o jornalista e falou dos seus planos para a TVE e FM Cultura, que pertencem à Fundação Piratini, que está em processo de extinção.

Em sua página no Facebook, Juarez Fonseca se disse impressionado com os planos de Orestes para a TVE e FM Cultura, como emissoras públicas.

Leboutte rebateu, dizendo que Orestes mente para esconder os verdadeiros planos do governo do Estado, para entregar a rádio e a TV a grupos ligados ao PMDB. Junto com Laboutte estão sendo arrolados outros quatro funcionários, por terem “curtido” os seus comentários na página de Juarez Fonseca: Isa Bonorino, Lilian Sifuentes, Matheus Rosa e Marta Koth.

Reprodução da conversa na página de Juarez Fonseca, em 28/03/2016:

Juarez Fonseca:

TVE E FM CULTURA CONTINUARÃO

@ Hoje estive durante mais de uma hora com o presidente da Fundação Piratini, Orestes de Andrade Jr., por convite dele. Foi uma conversa franca, da qual saí bem impressionado com as ideias que Orestes tem para a TVE e a FM Cultura. Me garantiu ser uma questão de honra para ele a preservação das duas emissoras e, mencionando vários números e razões, argumentou que a Fundação Piratini tornou-se com o tempo uma instituição pesada, onerosa e, enfim, insustentável. Será de fato extinta. Contou também que a tevê e a rádio estão passando por reestruturações e que, já no início de abril, o horário nobre da TVE será ocupado por uma nova e diversificada programação inteiramente local. Espero sinceramente que os planos e projetos de Orestes deem certo. E agradeço por ter me convidado para uma conversa direta e sem preconceitos.
Mas ficarei de olho.”

Comentário de Alexandre Leboutte:

“Orestes deveria ser pastor. Ia ficar milionário enganando incautos. Caro Juarez, respeito muito teu trabalho. Converse com os funcionários da Fundação Piratini. Orestes mente muito, mas muito mesmo. A programação continua sendo feita por funcionários concursados, mesmo essa mudança para o horário entre 18h e 20h que está sendo proposta. É feita por gente concursada. Não tem como ser feita sem funcionários. Mesmo que fiquem os 30 CCs e passem a terceirizar alguma coisa, ainda precisa de muito funcionário concursado para pôr a TVE e a FM Cultura no ar, pois somos nós – e os que por lá passaram – que fazemos há tempos o que se conhece por TVE e FM Cultura. Outra mentira do Orestes: recursos foram aprovados pela Lei Rouanet para a Fundação Piratini utilizar em sua programação. Porém, com muita cara de pau da atual gestão, a titularidade do projeto (e a gestão dos recursos) foi repassada para uma “Associação de Amigos” formada apenas por quadros do PMDB, a começar pelo presidente e vice. Posso te comprovar cada linha. Tenho cópias de documentos, inclusive o que transfere a titularidade da captação de recursos da ordem de R$ 7 milhões. Por que terceirizar e quarteirizar o uso desse dinheiro? SErá que alguém está ficando com uma beirada?”

Obs. Quando falo em alguém levar “uma beirada” é no sentido de que, quando tem um ou dois intermediários, obviamente alguém ganha comissão. Fui procurar um dos projetos da Leii Rouanet e o valor que receberá o responsável pela captação é de R$ 100 mil.

Fico à disposição pra falar.

Obrigado.

Abç.

Alexandre Leboutte

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



1 comentário

  1. Jorge

    A TVE vai ser fechada. Já deveria ter sido fechada. Há contas mais importantes a pagar, como os salários dos professores, por exemplo. O resto é chororô.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *