EconomiaPolíticaTrabalho

ECONOMIA. Sindicatos pretendem intensificar atos para defender o Banrisul como banco público gaúcho

Audiência Pública, com a presença de várias entidades, inclusive da região, foi realizada na noite dessa segunda, na Câmara de Vereadores

Por MAIQUEL ROSAURO (texto e foto), da Equipe do Site

Dezenas de sindicalistas e funcionários do Banrisul compareceram à audiência pública Em Defesa do Banrisul Público, realizada na noite dessa segunda-feira (12), na Câmara de Vereadores de Santa Maria. O ato promovido pela Assembleia Legislativa foi presidido pelo deputado estadual Valdeci Oliveira (PT), que integra a frente parlamentar contrária à privatização do banco dos gaúchos.

Como principal direcionamento da audiência, ficou estabelecida a intensificação de atos em defesa do Banrisul, reunindo diferentes sindicatos. Na quarta (14), às 18h30min, no Sindicato dos Comerciários, será realizado encontro das centrais sindicais em preparação à greve geral de 30 de junho e na reunião já será discutida a criação de um comitê em defesa do Banrisul e de outras autarquias.

O evento da noite dessa segunda contou com a representação do Sindicato dos Bancários de Santa Maria e Região, Sindicato dos Bancários de Santa Cruz do Sul e Região, Federação dos Trabalhadores em Instituições Financeiras do Rio Grande do Sul (Fetrafi/RS), CPERS/Sindicato, Projeto Esperança/Cooesperança, Sindiágua, Sinttel, Assufsm, Sindicato dos Rodoviários, Secohtur, UAC, Frente Brasil Popular Centro, Movimento Unificado dos Servidores Públicos Região Centro, Fórum das Mulheres de Santa Maria, Nova Central, CTB e CUT.

Durante a audiência, os sindicalistas lembraram que o Banrisul quase foi privatizado durante o governo Britto (PMDB), sendo impedido pelo governo Olívio (PT).

“O governo diz hoje que o Banrisul e a Corsan estão livres de serem vendidos. Mas isso não quer dizer nada. Não tem nenhum documento assinado garantido que o Sartori está falando a verdade”, afirma o diretor do Sindicato dos Bancários de Santa Maria e Região, Tadeu Menezes.

Hoje o Banrisul está presente em 430 municípios gaúchos, sendo quem em 96 cidades é a única instituição financeira presente. O banco destaca-se por atender, sobretudo, pessoas físicas das classes D e E, além de produtores rurais.

“Vamos ter que chegar junto para manter o Banrisul público”, destacou o diretor da Fetrafi/RS, Carlos Augusto Rocha, lembrando que é preciso mobilização dos gaúchos para evitar a privatização do banco.

Nesta quarta (14), a audiência pública que defende o Banrisul será realizada em Camaquã. Na sequência, recebem a comitiva Santo Ângelo (16), Bagé (19), Caxias do Sul (21), Osório (21), Passo Fundo (23), Pelotas (26) e Santa Cruz do Sul (28).

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

4 Comentários

  1. Se o Estado vendesse uma pequeninha parte e deixasse de ser majoritário, ficasse com 49%, já melhoraria muito. Tudo. Mas que medo de alguns caso isso acontecesse.

  2. Sem pé nem cabeça. É uma campanha de arregimentamento de ignorantes (que estão muito bem representados, diga-se de passagem). Banrisul é sociedade de economia mista, RS é só o acionista majoritário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo