ESPORTE. Pela segunda vez, Grêmio conquista a Recopa Sul-Americana. Foi nos pênaltis, por 5 a 4

ESPORTE. Pela segunda vez, Grêmio conquista a Recopa Sul-Americana. Foi nos pênaltis, por 5 a 4

ESPORTE. Pela segunda vez, Grêmio conquista a Recopa Sul-Americana. Foi nos pênaltis, por 5 a 4 - grêmio

No jogo, placar de 0 x 0, tanto nos 90 minutos quanto na prorrogação de 30. Nas penalidades máximas, 5 a 4 para o tricolor gaúcho

No portal do CORREIO DO POVO, com texto de Bernardo Bercht e foto de Reprodução

O Grêmio amassou, desperdiçou chances e foi sempre melhor que o Independiente, mas a taça da Recopa veio apenas nas cobranças de penalidades máximas nesta quarta-feira. Mesmo com um jogador a mais durante grande parte do jogo, o Tricolor não conseguiu tirar o 0 a 0 do placar e veio o drama dos pênaltis.

Com a obrigação de vencer para confirmar o título, o Grêmio tomou a iniciativa do jogo durante todo o primeiro tempo. O Independiente, por sua vez, era perigoso em rápidas transições nos contra-ataques. Além disso, as travas das chuteiras argentinas também levavam perigo aos gremistas.

Logo aos sete minutos, Éverton perdeu um gol daqueles para definir campeonato com categoria. Luan fez bela finta no meio e tocou para Cícero na entrada da área. O meia tocou para Éverton que correu nas costas da defesa e driblou o goleiro. Só que o garoto chutou fraco para o gol, dando a chance de Amorebieta tirar em cima da linha.

Na resposta dos hermanos, Marcelo Grohe teve que trabalhar. Menendes recebeu no contra-ataque e lançou Fernandes nas costas da zaga. O atacante chutou à queima-roupa para boa defesa de Grohe. No rebote, Geromel dividiu com Menendes e ganhou o tiro de meta.

Campaña faz mágica

O Tricolor foi para cima e a Arena prendeu a respiração com três bruxarias dos argentinos que evitara o gol. Éverton roubou bola no erro de passe zaga. Ele driblou dois e rolou para o meio. Alisson bateu em cima da marcação. O rebote voltou para Éverton a dois passos do gol, mas Campaña conseguiu tirar de soco no puro reflexo.

Aos 21, Léo Moura sentiu lesão e foi substituído por Paulo Miranda, improvisado na lateral direita. Quatro minutos depois, foi por aquele lado que Fernandes iniciou contragolpe. A bola acabou com Gaibor e Geromel fez falta para evitar o lance de gol. Na cobrança, frontal e na meia-lua, Gaibor bateu com efeito, tirando tinta do poste esquerdo.

Dois lances capitais ainda marcaram o jogo antes do intervalo. Aos 37, Cícero desviou de cabeça para Luan, que correu livre nas costas da zaga. Ele bateu de chapa, tirando do goleiro, mas caprichosamente passou tirando faísca do poste direito. Dois minutos depois. Amorebieta foi afastar bola na área e deixou o pé no tórax de Luan. As travas do jogador ficaram marcadas nas costelas do gremista e o juiz revisou no árbitro de vídeo. Dito e feito, cartão vermelho para o zagueirão pela jogada violenta…”

PARA LER A ÍNTEGRA, CLIQUE AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *