CÂMARA. Tucano Admar abre voto do G10 antes da hora e ‘coloca’ a petebista Deili na “CPI das parcerias”

CÂMARA. Tucano Admar abre voto do G10 antes da hora e ‘coloca’ a petebista Deili na “CPI das parcerias”

CÂMARA. Tucano Admar abre voto do G10 antes da hora e ‘coloca’ a petebista Deili na “CPI das parcerias” - maiquel-admar

Admar antecipou na tribuna o voto do “G10”, gerando uma reviravolta na estratégia do “G11”, que reúne oposicionistas e dissidentes

Por MAIQUEL ROSAURO (com foto de Mateus Azevedo/AICV), da Equipe do Site

A política é como uma partida de xadrez, no qual cada movimento precisa ser muito bem calculado, pois uma única ação inesperada pode ter repercussões desastrosas ao longo do jogo. Foi isso o que fez o líder da bancada do PSDB/SM, Admar Pozzobom, na tarde dessa quinta-feira (1º), que acabou colocando a principal opositora do governo, Deili Silva (PTB), dentro de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI).

Logo no início da sessão o Grupo dos 10, formado pelos vereadores governistas, solicitou a interrupção da sessão para reuniões a portas fechadas. No total, foram 40 minutos de paralisação.

Durante este tempo, o site conversou com vários vereadores do Grupo dos 11 (que une dissidentes e oposição). Os parlamentares haviam decidido indicar Adelar Vargas – Bolinha (PMDB) para formar a CPI que irá investigar possíveis irregularidades na utilização de máquinas e servidores públicos em propriedade particular. O proponente, Valdir Oliveira (PT), é membro nato da CPI.

Entre os parlamentes que estavam contentes com a decisão, estava Deili. A vereadora comentou ao repórter do site que não faria parte da CPI porque iria se dedicar a Comissões Permanentes das quais já faz parte.

Todavia, tudo mudou no retorno da sessão. Durante a discussão sobre a formação CPI, Admar usou a tribuna e divulgou uma informação valiosa.

“Nós, do Grupo dos 10, vamos indicar um vereador. E aqui eu posso já adiantar que o voto da bancada do PSDB, em comum acordo com meus colegas Coronel Vargas, Juba e Pastora Lorena, nós vamos indicar o vereador João Kaus (PMDB) para fazer parte desta CPI porque também queremos apurar os fatos”, disse o tucano.

A revelação surpreendeu o G11, que imediatamente solicitou o intervalo da sessão para debater a informação privilegiada. De acordo com o Regimento Interno, artigo 95, inciso 2, as CPIs “serão compostas por três membros, obedecida a proporcionalidade partidária”. Ou seja, ter dois vereadores do PMDB na CPI (Bolinha e Kaus) poderia anular a comissão.

Durante 30 minutos o G11 discutiu o assunto e, no fim das contas, Deili acabou sendo indicada para formar a CPI junto com Valdir e Kaus.

“Nossas atividades parlamentares dependem do bom desempenho da concentração política no Plenário. Tudo é questão de segundos. Agradecemos ao irmão do prefeito por ter antecipado o seu voto na hora errada”, festejou um dos líderes do G11.

A CPI ainda não tem uma data para a primeira reunião, mas tudo indica que Valdir será o presidente, Kaus o vice e Deili a relatora.

Sindicância
O líder do governo na Câmara, João Ricardo Vargas (PSDB), informou na tribuna que a Prefeitura também irá investigar o uso do maquinário na propriedade particular. Segundo ele, uma sindicância foi aberta no Executivo.



3 comentários

  1. Garibaldi

    Primeiro o prefeito e o corregedor defenderam a “cousa” e, só depois de escancarado tema, decidiram investigar.

    Hummm…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *