Câmara de VereadoresCampanhaEleições 2018

ELEIÇÕES 2018. Na verdade, número de vereadores candidatos dobrou em SM. Em 2014, ninguém eleito

Ano que vem na Assembleia ou na Câmara dos Deputados. Oito edis estão na disputa, entre eles João Kaus, do PMDB (foto Reprodução)

OBSERVAÇÃO NECESSÁRIA : por razões que o editor desconhece, esqueceu de nominar, na madrugada passada, o vereador João Kaus, que é, sim, pré-candidato a deputado estadual. E, assim, o número em vez de (quase) dobrar, como aqui se publicou, duplicou meeeesmo. Pelo menos até este momento. Com o devido perdão ao parlamentar peemedebista, a matéria é republicada, agora certinha. Acompanhe:

“Tanto quanto deputados concorrerem a prefeito, a entrada no jogo eleitoral de vereadores, buscando um mandato na Assembleia Legislativa ou na Câmara dos Deputados, é considerada uma boa aposta dos pretendentes. Na pior das hipóteses, a derrota, ainda assim são vitoriosos. Por quê? Garantem campanha antecipada para o mesmo cargo que ocupam, apenas dois anos depois.

Isso ajuda a explicar por que os partidos colocam seus parlamentares a disputar pleitos municipais. Cezar Schirmer, Jorge Pozzobom e Paulo Pimenta, para ficar nos exemplos mais recentes, mesmo derrotados na comuna, alavancaram extraordinárias vitórias locais logo na eleição proporcional seguinte. Basta consultar os dados dos pleitos de 2004/06 (Schirmer), 2008/10 (Pimenta), 2012/14 (Pozzobom), para perceber essa lógica.

No caminho inverso, cada vez mais vereadores disputam eleições para deputado. Na eventual (e certamente aceitável) derrota no pleito maior, na pior das hipóteses encaminham campanhas vitoriosas mais adiante. Assim, é natural que, a cada eleição, aumente o número de pretendentes.

Na eleição de 2014, para ficar nos dados mais recentes, foram candidatos os quatro então vereadores Ovídio Mayer, do PTB, que concorreu a Deputado Federal, e Marcelo Bisogno , do PDT, Werner Rempel, do PPL, e Paulo Denardin, do PP, todos à Assembleia Legislativa. Deles, Denardin a nada concorreu, Bisogno e Rempel tentaram a Prefeitura, e Ovídio foi o único candidato de novo a vereador: e se elegeu.

O caminho, agora, será percorrido por, se nada mudar até as convenções, nada menos que oito atuais vereadores. E poderia até ser ainda mais, mas um desistiu. No caso, o  pepista Vanderlei Araújo. Mesmo sim, trata-se de quantidade recorde. Quer saber quem são? Confira a lista, a seguir, em ordem alfabética e com o grifo no vereador faltante ontem:

Para deputado federal:

André Agne Domingues (PSDB)

Francisco Harrisson (PMDB)

Manoel Badke (DEM)

Para deputado estadual:

Deili Granvile (PTB)

João Chaves (PSDB)

João Kaus (PMDB)

Jorge Trindade (Rede)

Marion Mortari (PSD)

Para fechar, apenas uma curiosidade: quanto fizeram, de votos, os vereadores de 2014.

Para deputado federal:

Ovídio Mayer (PTB), 5.013

Para deputado estadual:

Marcelo Bisogno (PDT), 13.668

Paulo Denardin (PP), 5.038

Werner Rempel (PPL), 9.596

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo