ECONOMIA SOLIDÁRIA. Produção à venda, muitas discussões e, por que não, também uma grande festa

ECONOMIA SOLIDÁRIA. Produção à venda, muitas discussões e, por que não, também uma grande festa

ECONOMIA SOLIDÁRIA. Produção à venda, muitas discussões e, por que não, também uma grande festa - bolo-gigante

Bolo de 2,6 metros e um punhado de jubileus festejados: 150 anos da Congregação Filhas do Amor Divino; 75ª Romaria da Medianeira; 30 anos do Projeto Esperança/Cooesperança; 15ª Feira da Agricultura Familiar de Crateús; 10 anos do Instituto Federal Farroupilha

Por MAIQUEL ROSAURO (texto e foto), da Assessoria de Imprensa dos Eventos

Os pavilhões do Centro de Referência de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter, em Santa Maria, receberam milhares de visitantes neste sábado (14). No local, desde quinta-feira (12), ocorrem a 25ª Feira Internacional do Cooperativismo (Feicoop), 3ª Fórum e 3ª Feira Mundial de Economia Solidária. Diversas atividades marcaram o dia, que foi encerrado com um bolo gigante.

No pátio do Colégio Irmão José Otão, por exemplo, 500 jovens de todas as regiões do Estado participam do Acampamento do Levante Popular da Juventude. Já as salas de aula da escola receberam, entre outros eventos, a Oficina: É hora de respirar! Meditação e respiração consciente; Oficina: Construindo a Tolerância: nas redes sociais, na escola, no trabalho, na vida; e Encontro Juvesol: Economia Solidária na Organização das Juventudes.

O Centro de Referência de Economia Solidária, onde se concentram os grandes pavilhões com cerca de 800 expositores, também foi palco de um evento. No Túnel da Reforma Agrária ocorreu a oficina Aprendendo com as plantas medicinais: resgate de saberes gerando autonomia e saúde.

Porém, foi no Parque da Medianeira onde se realizaram os grandes encontros do dia. Destaque para o Seminário de Inclusão Social e Produtiva em Comunidades Quilombolas; Seminário Educação, Economia Solidária e Ética Planetária; e o Seminário Mulheres e a história da sociedade capitalista e luta feminista.

No Palco da Feira, destaque para o debate Grito da Democracia e por Justiça Social, com a deputada federal Maria do Rosário (PT) e o ex-ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho (PT).

No mesmo local, no início da noite foi servido um bolo gigante de 2,6 metros de comprimento para comemorar diversos jubileus, como: 150 anos da Congregação Filhas do Amor Divino; 75ª Romaria Estadual da Medianeira; 30 anos do Projeto Esperança/Cooesperança; 15ª Feira da Agricultura Familiar de Crateús; e 10 anos do Instituto Federal Farroupilha. O deputado estadual Edegar Pretto (PT) participou do ato, assim como o prefeito de Santa Maria, Jorge Pozzobom (PSDB); o vice-prefeito Sérgio Cechin (PP) e o arcebispo de Santa Maria, Dom Hélio Adelar Rubert.

O dia encerrou com a exibição do documentário Galo Missioneiro – a trajetória de um militante, que conta a história do ex-governador do Rio Grande do Sul, Olívio Dutra (PT).

Neste domingo (15), último dia de Feira, a comercialização de produtos terá início às 7h30min. O encerramento irá ocorrer às 18h.

PROGRAMAÇÃO OFICIAL DA 25º FEICOOP

PROGRAMAÇÃO DE ATIVIDADES CULTURAIS DA 25ª FEICOOP

Informações sobre a 25ª Feicoop


A Feira

A Feicoop é uma grande escola de organização, formação de convivência, do voluntariado e dos Movimentos Sociais e Economia Solidária. São 25 anos de construção coletiva e interativa. É um braço do Fórum Social Mundial que constrói um “Outro Mundo Possível” e uma “Outra Economia que já Acontece!”. A entrada é gratuita.

Tema desta edição
Construindo a sociedade do bem viver: por uma ética planetária

Horários de visitação
Domingo (15) – 7h30min às 18h

Exposição
Serão expostos na Feira cerca de 10 mil produtos, entre agroindústria familiar, artesanato, alimentação, hortifrutigranjeiros, plantas ornamentais, serviços e produtos de povos indígenas.

Estimativa de público 
Para esta edição, são esperadas 300 mil pessoas durante os quatro dias de evento. Ano passado, foram 255 mil visitantes oriundos de todos os estados brasileiros (mais de 500 municípios) e 20 países (África do Sul, Alemanha, Argentina, Brasil, Chile, China, Colômbia, Costa do Marfim, Cuba, Equador, Espanha, Hungria, Itália, México, Nicarágua, Paraguai, Peru, Portugal, Senegal e Uruguai).

Diferenciais do evento
Durante a Feicoop ocorrem práticas do comércio justo e consumo ético e solidário, trocas solidárias com moeda social e muitas atividades de formação e interação. Na Feira não há consumo de cigarros e a água não é comercializada durante o evento. A Economia Solidária entende que a água é um bem universal e um patrimônio da humanidade.
Refrigerantes também não são vendidos. Os produtos oferecidos na Feira são de procedência ecológica. A organização do evento trabalha com a teoria e a prática, articulando campo, cidade e as diferentes culturas e etnias.

Infraestrutura
A área total da Feicoop é superior a 20 mil m², incluindo os pavilhões do Centro de Referência de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter, parte do Parque da Medianeira e o Colégio Irmão José Otão.

Organização
A Feicoop é organizada pelo Projeto Esperança/Cooesperança (da Arquidiocese de Santa Maria) e Prefeitura Municipal de Santa Maria, com apoio de Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Cáritas Brasileiras, entre outras instituições.

O que é Economia Solidária
É um jeito diferente de produzir, de comprar, de trocar, de vender, de consumir produtos, oferecer e receber crédito. O que move esta economia é o desejo de que não existam excluídos, que a riqueza produzida no trabalho seja partilhada e que todos tenham qualidade de vida.
A Economia Solidária é também uma estratégica de desenvolvimento sustentável que considera todas as dimensões (econômica, social, cultural, ambiental, política…).

Feicoop no Facebook
Curta a fanpage do evento: https://www.facebook.com/feicoop



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *