HistóriaJornalismoMídiaPolíticaTrabalho

HISTÓRIA. Coojornal, jornal gaúcho de resistência, enfim preservado: suas 82 edições foram digitalizadas

Do portal especializado Coletiva.Net, com imagem de Reprodução

Lançado pela Cooperativa dos Jornalistas de Porto Alegre em 1971, durante o período do AI-5 da ditadura militar, o Coojornal trazia mensalmente reportagens, entrevistas e peças de humor acerca dos fatos ocorridos à época. Ao todo, circularam 82 exemplares do informativo, inicialmente entre jornalistas e, depois, chegou ao grande público. Com o objetivo de preservar a história da publicação, todas as suas edições foram digitalizadas.

A iniciativa de digitalização surgiu do professor Antônio Carlos Hohlfeldtque também coordenou o projeto, com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs)O projeto foi uma parceria com alunos bolsistas de pós-graduação da Escola de Comunicação, Artes e Design – Famecos, da PUC, com a editora Libretos que, em 2011, publicou um livro com uma seleção de reportagens e notícias em um período em que se buscava recuperar a democracia.

Segundo o professor, a ação é fundamental para resguardar a história do Jornalismo. “O papel deteriora, então, o objeto principal é não perder este material e torná-lo universal para que sirva como objeto, também, para pesquisas”, explicou ao Coletiva.net. Para o jornalista José Antonio Vieira da Cunha, que foi o primeiro presidente da cooperativa, de 1974 a 1980, “resgatar a história da publicação é resgatar uma parte relevante da história da imprensa gaúcha e brasileira. Fica assim eternizada a rica trajetória do jornal que foi considerado um dos cinco mais importantes da imprensa alternativa no Brasil durante os anos 70 e 80, aqueles que ficaram conhecidos como os anos de chumbo”.

Durante três anos, os alunos reuniram o material e passaram para versão digital, que está disponível no SITE do Núcleo de Pesquisa em Ciência da Comunicação (Nupecc). Outro informativo digitalizado pelo grupo de pesquisa foi o Pato-Macho, publicado no mesmo ano que o Coojornal. “São dois jornais de referência enquanto imprensa alternativa, cada um com um modelo diferente, mas ambos mostram a potencialidade do Jornalismo”, concluiu Hohlfeldt ao portal.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo