CÂMARA. Grupo dos 11 articula CPI para investigar denúncia de irregularidades no Cemitério Ecumênico

CÂMARA. Grupo dos 11 articula CPI para investigar denúncia de irregularidades no Cemitério Ecumênico

CÂMARA. Grupo dos 11 articula CPI para investigar denúncia de irregularidades no Cemitério Ecumênico - maiquel-cemitério

Denúncia registrada por família na Polícia Civil causou a exoneração de um servidor da Prefeitura de Santa Maria lotado no Cemitério

Por MAIQUEL ROSAURO (com foto de Divulgação), da Equipe do Site

Uma nova Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) é arquitetada na Câmara de Vereadores de Santa Maria. O pedido de investigação terá como objeto a denúncia de sumiço de túmulo no Cemitério Ecumênico Municipal, o que gerou a exoneração de um cargo de confiança (CC) da Prefeitura.

Uma fonte do site garante que até terça-feira (20), o Grupo dos 11 irá protocolar o pedido de instauração da CPI do Cemitério. São necessárias, no mínimo, sete assinaturas de vereadores para solicitar a abertura do processo.

Oficialmente, o G11 trata o tema com cautela e evita, neste momento, usar a palavra “CPI”. Contudo, um dos líderes do grupo indica que uma investigação parlamentar é iminente.

“A denúncia é grave, iremos solicitar ao Departamento Jurídico da Câmara orientação sobre quais procedimentos podemos adotar, e definirmos em conjunto durante a semana, com os vereadores integrantes do G11, o que faremos com base nas denúncias veiculadas na imprensa de possíveis irregularidades no funcionamento do Cemitério Ecumênico Municipal”, afirma o vereador Daniel Diniz, líder da bancada do PT.

Diniz também chama atenção para a rápida demissão do CC que estaria envolvido no caso.

“É muito estranho essa demissão do CC de uma hora para outra sem a conclusão da sindicância da própria Prefeitura”, argumenta o petista.

Entenda o caso

O repórter Marquinhos Barcellos, da Rádio Medianeira, acompanhou com exclusividade, em 9 de novembro (uma sexta-feira), o registro policial de Maria da Silva, 67 anos, e o filho dela, Alessandro da Silva de Medeiros, na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA). A família reportou uma denúncia de apropriação indébita e tentativa de venda irregular de túmulo no Cemitério Ecumênico.

No mesmo dia, o caso foi levado ao conhecimento do vice-prefeito e secretário interino de Infraestrutura, Sérgio Cechin (PP). Na segunda (12), o servidor Pedro Luiz Lemos, CC do governo municipal, foi exonerado.

Conforme o repórter Fabricio Minussi, da Rádio Medianeira, a Prefeitura INFORMOU, via nota, que Lemos foi demitido devido a gravidades dos fatos e outros relatos que chegaram à Secretaria de Infraestrutura. A Polícia Civil investiga o caso.



1 comentário

  1. O Brando

    CC é cargo ad nutum, livre nomeação e livre exoneração. Não é necessário sindicância.
    CPIs já perderam a importância e neste caso é até cabível (mesmo que seja uma maneira do Casarão buscar uma pauta positiva, jogar holofote nas possíveis mazelas de outro poder). Só não creio que o maior problema do cemitério citado seja corrupção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *