Destaque

CÂMARA. Grupo dos 11 articula CPI para investigar denúncia de irregularidades no Cemitério Ecumênico

Denúncia registrada por família na Polícia Civil causou a exoneração de um servidor da Prefeitura de Santa Maria lotado no Cemitério

Por MAIQUEL ROSAURO (com foto de Divulgação), da Equipe do Site

Uma nova Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) é arquitetada na Câmara de Vereadores de Santa Maria. O pedido de investigação terá como objeto a denúncia de sumiço de túmulo no Cemitério Ecumênico Municipal, o que gerou a exoneração de um cargo de confiança (CC) da Prefeitura.

Uma fonte do site garante que até terça-feira (20), o Grupo dos 11 irá protocolar o pedido de instauração da CPI do Cemitério. São necessárias, no mínimo, sete assinaturas de vereadores para solicitar a abertura do processo.

Oficialmente, o G11 trata o tema com cautela e evita, neste momento, usar a palavra “CPI”. Contudo, um dos líderes do grupo indica que uma investigação parlamentar é iminente.

“A denúncia é grave, iremos solicitar ao Departamento Jurídico da Câmara orientação sobre quais procedimentos podemos adotar, e definirmos em conjunto durante a semana, com os vereadores integrantes do G11, o que faremos com base nas denúncias veiculadas na imprensa de possíveis irregularidades no funcionamento do Cemitério Ecumênico Municipal”, afirma o vereador Daniel Diniz, líder da bancada do PT.

Diniz também chama atenção para a rápida demissão do CC que estaria envolvido no caso.

“É muito estranho essa demissão do CC de uma hora para outra sem a conclusão da sindicância da própria Prefeitura”, argumenta o petista.

Entenda o caso

O repórter Marquinhos Barcellos, da Rádio Medianeira, acompanhou com exclusividade, em 9 de novembro (uma sexta-feira), o registro policial de Maria da Silva, 67 anos, e o filho dela, Alessandro da Silva de Medeiros, na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA). A família reportou uma denúncia de apropriação indébita e tentativa de venda irregular de túmulo no Cemitério Ecumênico.

No mesmo dia, o caso foi levado ao conhecimento do vice-prefeito e secretário interino de Infraestrutura, Sérgio Cechin (PP). Na segunda (12), o servidor Pedro Luiz Lemos, CC do governo municipal, foi exonerado.

Conforme o repórter Fabricio Minussi, da Rádio Medianeira, a Prefeitura INFORMOU, via nota, que Lemos foi demitido devido a gravidades dos fatos e outros relatos que chegaram à Secretaria de Infraestrutura. A Polícia Civil investiga o caso.

Leia também

ATENÇÃO


1) Sua opinião é importante. Opine! Mas, atenção: respeite as opiniões dos outros, quaisquer que sejam.

2) Fique no tema proposto pelo post, e argumente em torno dele.

3) Ofensas são terminantemente proibidas. Inclusive em relação aos autores do texto comentado, o que inclui o editor.

4) Não se utilize de letras maiúsculas (CAIXA ALTA). No mundo virtual, isso é grito. E grito não é argumento. Nunca.

5) Não esqueça: você tem responsabilidade legal pelo que escrever. Mesmo anônimo (o que o editor aceita), seu IP é identificado. E, portanto, uma ordem JUDICIAL pode obrigar o editor a divulgá-lo. Assim, comentários considerados inadequados serão vetados.


OBSERVAÇÃO FINAL:


A CP & S Comunicações Ltda é a proprietária do site. É uma empresa privada. Não é, portanto, concessão pública e, assim, tem direito legal e absoluto para aceitar ou rejeitar comentários.

Um Comentário

  1. CC é cargo ad nutum, livre nomeação e livre exoneração. Não é necessário sindicância.
    CPIs já perderam a importância e neste caso é até cabível (mesmo que seja uma maneira do Casarão buscar uma pauta positiva, jogar holofote nas possíveis mazelas de outro poder). Só não creio que o maior problema do cemitério citado seja corrupção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo