CÂMARA. Vereadores gastaram R$ 183,9 mil em combustível em 2018. Confira o consumo de cada edil

CÂMARA. Vereadores gastaram R$ 183,9 mil em combustível em 2018. Confira o consumo de cada edil

CÂMARA. Vereadores gastaram R$ 183,9 mil em combustível em 2018. Confira o consumo de cada edil - Juliano-Soares-2018

Entre os atuais 21 vereadores, Juliano Soares – Juba é o único que abriu mão da cota de combustível. Foto Taísa Medeiros

Por Maiquel Rosauro

Um dos principais benefícios concedidos aos vereadores de Santa Maria é uma cota mensal de 200 litros de combustível para uso em carros particulares em cada gabinete. A prática visa auxiliar no desempenho da função parlamentar, facilitando os deslocamentos. Porém, nem todos os edis fazem uso da ferramenta.

Ano passado, os vereadores gastaram R$ 183.925,10 com o benefício. Em nível de comparação, entre fevereiro e dezembro de 2017 (em janeiro todos tiveram que pagar com dinheiro do próprio bolso, uma vez o cartão combustível não estava disponível), o gasto foi de R$ 155.671,15 (em valores corrigidos pela inflação do período).

Pelo segundo ano consecutivo, o vereador Juliano Soares – Juba (PSDB) foi o que mais economizou combustível na Câmara. Na realidade, o tucano abriu mão de sua cota e, assim como fez em 2017, não gastou R$ 1 sequer.

Em entrevista ao site, Juba disse que se considera bem pago para exercer a vereança (o salário de vereador é de R$ 9.641,03) e que não se sente confortável ao fazer uso de sua cota de combustível.

“Vivemos em outra época, 80% das demandas que chegam no gabinete são via WhatsApp e Facebook. Facilita muito, o gabinete já está instruído nesse sentido. E o principal: continuo advogado, pouco, mas continuo e não gosto de misturar o público com o privado. Não me sinto a vontade de ir no Fórum, ir no clube, ir num restaurante e o povo estar pagando meu combustível”, afirma o vereador.

Além de Juba, outro vereador também abriu mão da ferramenta. João Ricardo Vargas (PSDB) atuou no Parlamento até abril de 2018 e não fez uso da cota de combustível. Naquele mês, ele licenciou-se do Legislativo e assumiu a Secretaria de Mobilidade Urbana.

No topo de gastos com combustível está o vereador Vanderlei Araújo (PP). Em 2018, o progressista gastou R$ 10.999,97 com o benefício. Na prática, ele consumiu quase toda a cota anual a que tem direito, com 2.300,48 litros de combustível ao longo do ano (o máximo que poderia chegar é 2,4 mil litros).

O progressista ficou surpreso ao ser informado pelo site que liderou os gastos com combustível em 2018. Ao contrário de Juba, sempre presente nas redes sociais, Araújo sequer possui uma página no Facebook, caracterizando-se por uma atuação parlamentar mais tradicional, de contato mais pessoal com a população.

“Eu divido a cota de combustível com minha assessora, Jussara Rossini, e ando bastante no interior também. A Jussara faz o trabalho de rua do gabinete e, geralmente, nós dividimos as atividades. Essa é a única e verdadeira justificativa”, salienta Araújo.

 

O combustível

CÂMARA. Vereadores gastaram R$ 183,9 mil em combustível em 2018. Confira o consumo de cada edil - Alemão-do-Gás

Leopoldo Ochulaki – Alemão do Gás é o único vereador que fez uso de gasolina aditivada via cota combustível. Foto Reprodução

A cota de combustível é regulada pela Resolução Legislativa 13/2017, o qual estabelece em seu artigo 3º que “a cota mensal de combustível terá como referência o valor equivalente a 200 (duzentos) litros de gasolina comum, para cada gabinete parlamentar”. De forma geral, todos os vereadores seguem o regramento. Porém, ocorreram alguns deslizes ao longo de 2018.

O vereador Leopoldo Ochulaki – Alemão do Gás (PSB), por exemplo, abasteceu um Ford Fiesta, um Ford New Fiesta e uma Ford Ecosport com gasolina aditivada em, pelo menos, dez oportunidades.

Também chama atenção o caso de Manoel Badke – Maneco (DEM), que realizou mais de 20 abastecimentos em um Volkswagen Amarok com Diesel S-10 ou diesel comum. Mas justiça seja feita ao vereador democrata, o diesel é mais barato que a gasolina comum.

 

Carro oficial

CÂMARA. Vereadores gastaram R$ 183,9 mil em combustível em 2018. Confira o consumo de cada edil - Veículos-oficiais

Cota combustível deveria ser usada apenas com gasolina comum. Mas não é o que ocorre com veículos oficiais da Casa. Foto Reprodução

A Resolução Legislativa 13/2017 também estabelece, em seu artigo 6º, que aos veículos oficiais do Legislativo será concedida uma cota mensal de 250 litros de gasolina comum para cada veículo oficial. Porém, a gasolina aditivada é utilizada praticamente da mesma forma que a comum.

No total, a Casa gastou R$ 18.174,83 em combustível para uma Chevrolet Zafira Expression e uma Chevrolet Spin.

 

Gasto total

Somando os consumo dos vereadores e dos veículos oficiais do Parlamento, o gasto total com combustível em 2018 foi de R$ 202.099,93.

 

Acesso à informação

O relatório com os gastos de combustível dos vereadores de Santa Maria não está disponível na página da Câmara. Para ter acesso ao documento, o site fez uma solicitação formal no Legislativo via Lei de Acesso à Informação.

Para ler o relatório na íntegra, clique AQUI.

 

Abaixo, confira um resumo dos gastos de cada vereador com combustível em 2018.

Vereador – Valor líquido consumido
Vanderlei Araújo (PP) – R$ 10.999,97
Alexandre Vargas (PRB) – R$ 10.749,02
Valdir Oliveira (PT) – R$ 10.657,96
Luciano Guerra (PT) – R$ 10.644,87
Leopoldo Ochulaki – Alemão do Gás (PSB) – R$ 10.461,46
Luci Duartes – Tia da Moto (PDT) – R$ 10.317,01
Marion Mortari (PSD) – R$ 10.300,83
João Kaus (MDB) – R$ 10.237,07
Daniel Diniz (PT) – R$ 10.056,80
Manoel Badke – Maneco (DEM) – R$ 9.986,72
Ovídio Mayer (PTB) – R$ 9.902,89
Admar Pozzobom (PSDB) – R$ 9.802,96
Adelar Vargas – Bolinha (MDB) – R$ 9.506,32
Jorge Trindade – Jorjão (REDE) – R$ 9.506,17
Celita da Silva (PT) – R$ 9.501,82
João Chaves (PSDB) – R$ 8.153,70
Deili Silva (PTB) – R$ 5.855,86
Francisco Harrisson (MDB) – R$ 5.123,92
André Domingues – Deco (PSDB) – R$ 5.017,11
Cida Brizola (PP) – R$ 5.013,70
Lorena Santos (PSDB) – R$ 2.128,94

Não utilizaram a cota de combustível os vereadores do PSDB: Juliano Soares – Juba e João Ricardo Vargas (este último está licenciado desde abril de 2018).



1 comentário

  1. Oscar

    É que se trata de uma cidade extremamente rica, cheia de indústrias, comércio e serviços pulsante! Sua arrecadação é uma das maiores do estado, senão a maior, não se baseia apenas do serviço público, mas por ter uma economia tão pulsante no setor privado. Por isso, podem e devem gastar dinheiro público com contas extras, os nobres vereadores. Assim se percebe como a cidade está bela, bem cuidada com leis que favorecem o empreendedorismo e a fomentação de riqueza na cidade. Percebe-se como as ruas, praças, lugares públicos estão tão bem conservados! Quando estive aí em Santa Maria, no fim do ano, me surpreendi com sua beleza e seu cuidado…
    Não… pera…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *