PARTIDOS. Vice-presidente do PP/SM, Mauro Bakof, critica interferência do governo Pozzobom na Câmara

PARTIDOS. Vice-presidente do PP/SM, Mauro Bakof, critica interferência do governo Pozzobom na Câmara

PARTIDOS. Vice-presidente do PP/SM, Mauro Bakof, critica interferência do governo Pozzobom na Câmara - Bakof

Carta inesperada do vice-presidente do PP/SM, Mauro Bakof, agita a militância progressista. Foto Maiquel Rosauro / Reprodução / Arquivo

Por Maiquel Rosauro

O vice-presidente do PP/SM, Mauro Bakof, pegou de surpresa os progressistas de Santa Maria nessa segunda-feira (18). Ele enviou uma carta, para alguns de seus contatos, no qual faz duras críticas ao governo municipal, além de informar que, pela primeira vez, poderá ser candidato em um pleito eleitoral.

“Primeiramente, penso que devemos varrer os políticos carguistas e que estão no comando do nosso município, sou contra prefeitura dar cargos para vereadores em troca de apoio… isso para mim é interferência direta do executivo sobre o legislativo. Essa prática ao longo dos anos desmoralizou o nosso legislativo em todos os níveis…”, diz o progressista em sua missiva.

Vale lembrar que o PP é o partido do vice-prefeito, Sérgio Cechin (PP), principal aliado do governo Jorge Pozzobom (PSDB).

Bakof é um histórico militante do PP, com um forte trabalho de bastidores e respeitado tanto por aliados quanto adversários por suas posições firmes em defesa da legenda. Todavia, por não concordar com o posicionamento da sigla no pleito do ano passado, ele licenciou-se do partido entre os meses de agosto e dezembro.

O progressista nunca concorreu em uma eleição e jamais assumiu cargos públicos por ser filiado. Porém, agora destacou que pensa em concorrer (mas não especificou para qual cargo).

Após receber o documento de uma militante progressista, o site entrou em contato com Bakof. Embora a carta não tenha sido redigida para o público em geral, ele autorizou a publicação da mensagem neste site. Abaixo, confira a missiva na íntegra:

 

Caríssimos(as) amigos(as)!!!

Venho através deste comunicado, dizer o que eu penso sobre o pleito do ano que vem 2020 e também externar meu desejo de quem sabe vir a concorrer…

Primeiramente, penso que devemos varrer os políticos carguistas e que estão no comando do nosso município, sou contra prefeitura dar cargos para vereadores em troca de apoio… isso para mim é interferência direta do executivo sobre o legislativo. Essa prática ao longo dos anos desmoralizou o nosso legislativo em todos os níveis…

Também sou contra o excesso de cargos de confiança, tanto do legislativo como do executivo. Penso eu que se quiser dar trabalho, devemos abrir empresas e fortalecer o estado com recursos e não o contrário usurpar do nosso estado já combalido como sabemos que está.

Se de fato concorrer, digo de fato, pois estou passando por um período de extrema busca de meu eu interior. As eleições do ano passado 2018, para mim foram um marco, pensei seriamente em abandonar a política, meu partido, que apesar de sérios problemas, ainda é o que eu mais considero o estatuto.

Então decidi que se ficar na política, devo sim concorrer, devo perder o medo de ir adiante e parar de ajudar pessoas que eu penso que pensam como eu e nas horas Hs aceitam tudo que mencionei acima como algo nefasto… política na minha visão não é para se locupletar e sim para auxiliar nossa comunidade.

Temos que realmente saber o que faz o legislativo e o executivo, portanto sair desse escárnio que vivemos atualmente onde não sabemos o que é o quê…

Sobre a campanha eleitoral, penso em algo diferente, algo que se der certo será inovador e se der errado, terei obtido o apoio de seres humanos que pensam como eu, sou contra o método tradicional.

Penso que devemos usar apenas as redes sociais e no máximo um adesivo em veículos, jamais o esbanjo de material que temos visto nas eleições até hoje realizadas. Penso em fazer uma campanha limpa, sem carros de som, sem placas, sem carreatas, sem pessoas contratadas, sem material tradicional de campanha, ou seja tudo pelas redes sociais e corpo a corpo, com no máximo um cartão de apresentação… sem comitês, sem jantares e almoços, pois penso que devemos abnegar “o tilintar de talheres e valorizar o tilintar de ideias…”

Penso na política de forma humanitária, devemos lutar por um mundo mais Justo, mais humano e mais solidário.

Mauro Bakof.



3 comentários

  1. Dilmar Rodrigues

    Concordo 100% com o amigo Mauro Bakof! E se caso de fato concorrer a algum cargo político, vai ter todo meu apoio, pois sei que é uma pessoa integra e de confiança coisa que poucos políticos hoje em dia tem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *