SOBE/DESCE. Juba, Jorjão, Kaus, Luci... Quem se deu bem e quem naufragou no vai e vem da política de SM

SOBE/DESCE. Juba, Jorjão, Kaus, Luci… Quem se deu bem e quem naufragou no vai e vem da política de SM

SOBE/DESCE. Juba, Jorjão, Kaus, Luci... Quem se deu bem e quem naufragou no vai e vem da política de SM - Juba-1

Juliano Soares é o vereador mais econômico do Parlamento santa-mariense. Foto Taísa Medeiros

Por Maiquel Rosauro

SOBE

⇑ Juliano Soares (PSDB)
O tucano tem o gabinete mais econômico do Legislativo santa-mariense, abrindo mão da cota de combustível e gastando apenas R$ 5,10 com selos durante o ano inteiro. No total, entre cotas de gabinete e diárias, em 2018, gastou pouco mais de R$ 4,2 mil.

⇑ João Kaus (MDB)
O emedebista segue nos holofotes em relação à situação da Havan. Após colher 2,2 mil assinaturas em um abaixo-assinado, ele protocolou a defesa de uma moção de apoio à vinda da loja e a formação de uma Comissão Especial para acompanhar o tema.

⇑ Cezar Gehm (MDB)
O vereador contrapõe as ações desenvolvidas por Kaus. O emedebista também é a favor da vinda da Havan, mas defende que os acordos entre Sindilojas e Sindicato dos Comerciários sejam respeitados.

 

DESCE

⇓ Jorge Trindade – Jorjão (REDE)
O parlamentar da Rede tem o gabinete mais caro do Legislativo. Em 2018, os gastos foram expressivos: R$ 9.506,17 em combustível, R$ 6.546 em telefone, R$ 6.678,60 em diárias e R$ 3.268,95 em selos. Total: R$ 26 mil.

⇓ Luci Duartes – Tia da Moto (PDT)
A vereadora deixou bem explicado porque protocolou uma moção de apoio ao projeto Escola Sem Mordaça, sendo que ano passado votou a favor de uma moção ao projeto Escola Sem Partido. O problema foram as críticas vindas de tudo que é lado.

⇓ Cida Brizola (PP)
A presidente da Casa não deve ter ficado feliz com os sucessivos erros de sua gestão logo na primeira sessão ordinária do ano. Até os parlamentares da base aliada ficaram surpresos com os equívocos administrativos.



2 comentários

  1. Joao

    E o jornal? Será que algum vereador abdica do seu jornal? A Câmara gasta com assinaturas praticamente o valor da cota de selos dos vereadores. Por exemplo, são 29 (vinte e nove!) assinatura do jornal local Diário e 22 (vinte e duas!) do jornal A Cidade.

    É absurdo dinheiro público pagar jornais para os vereadores e outros funcionarios da casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *