CIDADE. Conserto, pela Corsan, de buraco no asfalto na Rua do Acampamento, só com a melhoria do clima

CIDADE. Conserto, pela Corsan, de buraco no asfalto na Rua do Acampamento, só com a melhoria do clima

CIDADE. Conserto, pela Corsan, de buraco no asfalto na Rua do Acampamento, só com a melhoria do clima - prefeitura-buracoPor JOÃO PEDRO LAMAS (texto) e JOÃO VILNEI (foto), da Assessoria de Imprensa da Prefeitura

A Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) encaminhou ofício à prefeitura de Santa Maria pedindo compreensão em relação ao conserto de um buraco (foto acima) na Rua do Acampamento, no Centro, quase esquina com a Avenida Nossa Senhora Medianeira. O buraco está causando congestionamentos naquela que é uma das principais vias de trânsito da cidade.

A prefeitura de Santa Maria, por meio da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos, divulgou que o buraco foi aberto para o conserto de um ramal de água pela Corsan no último final de semana. A Superintendência de Monitoramento e Fiscalização dos Serviços de Água e Esgoto, vinculada à Procuradoria Geral do Município (PGM), explica que houve um vazamento no local e a Corsan tinha até 10 dias para concluir o serviço.

Como o buraco foi aberto na área central da cidade, o Executivo municipal pediu urgência no conserto. Assim, um asfaltamento provisório foi viabilizado. No entanto, com a chuva dos últimos dias, esse material temporário cedeu e o buraco aumentou.

Na quarta-feira, dia 24 de julho, a Secretaria de Mobilidade Urbana, por meio da Coordenadoria Municipal de Trânsito Urbano (CMTU), isolou o espaço e fez a sinalização com cones. Na prática, isso restringiu uma das pistas da Rua do Acampamento, próximo da Avenida Nossa Senhora Medianeria. Assim, motoristas que estão na pista da esquerda precisam ingressar em uma das outras duas, o que gera o congestionamento, principalmente em horários de pico, que se estende até a Avenida Rio Branco.

A Corsan afirma que vai retomar o serviço assim que o tempo melhorar, pois, com chuva, isso não é possível.

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *