KISS, 82 MESES. Vítimas são lembradas com vigília e muita solidariedade. STJ não acolhe o recurso de réu

KISS, 82 MESES. Vítimas são lembradas com vigília e muita solidariedade. STJ não acolhe o recurso de réu

KISS, 82 MESES. Vítimas são lembradas com vigília e muita solidariedade. STJ não acolhe o recurso de réu - kiss-242Uma POSTAGEM da mãe de vítima, Ligiane Righi da Silva, no Facebook, traz as informações sobre acontece em mais um dia 27, agora decorridos 82 meses da tragédia que matou 242 meninos e meninas, naquele janeiro de 2013.

Haverá, como tem sido habitual, vigília na tenda da associação dos familiares, na Praça Saldanha Marinho – entre 9 da manhã e 5 da tarde. No local, num ato de solidariedade, espera-se a comunidade com doces e brinquedos que são arrecadados para o “Natal Solidário AVTSM”. Às 4, acontece um momento de oração e o abraço coletivo.

Vale conferir as palavras de Ligiane:

“Desde o dia 27 de Janeiro, não sabemos o que é sentir felicidade. Pois para sermos felizes, precisamos estar completos e para estarmos completos, precisamos dos nossos filhos aqui conosco. Ao mesmo tempo em que não estamos felizes, ajudamos pessoas a ficarem felizes e isso é um sentimento bom, inexplicável e que nos motiva para seguir em frente.”

Enquanto isso acontece em Santa Maria, em Brasília, houve nesta terç-feira uma importante decisão do Superior Tribunal de Justiça. Esta, que você confere a seguir, em material originalmente publicado no site do jornal Correio do Povo:

STJ decide não acolher embargos de réu do caso Kiss – Decisão manteve o julgamento pelo Tribunal do Júri de Santa Maria

Decisão do Superio Tribunal de Justiça (STJ) manteve o julgamento dos sócios da boate Kiss e de dois integrantes da banda Gurizada Fandangueira pelo Tribunal do Júri de Santa Maria. O julgamento do caso foi dividido em duas sessões, marcadas para 16 de março e 27 de abril do ano que vem. O Ministério Público (MP) recorreu da decisão para que o júri seja realizado em apenas uma sessão, mas o recurso aguarda julgamento da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do RS.

Nesta terça, por unanimidade, a Sexta Turma do STJ decidiu não acolher embargos declaratórios apresentados pela defesa do réu Mauro Hoffmann, um dos antigos sócios da Kiss. Os ministros seguiram entendimento do MP, que pediu para que fosse mantida a decisão de junho deste ano, que determinou que os réus que respondem a ação penal pelo homicídio de 242 pessoas sejam julgados por júri popular.” (AQUI, no original)

NOTA DO EDITOR: este site, como faz a cada dia 27, publica a imagem com os nomes dos 242 meninos e meninos chacinados. E assim será, até que se faça JUSTIÇA.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *