MÍDIA. Mais um jornal se vai. Metro deixa de circular diariamente e passa a ser semanário em Porto Alegre

MÍDIA. Mais um jornal se vai. Metro deixa de circular diariamente e passa a ser semanário em Porto Alegre

MÍDIA. Mais um jornal se vai. Metro deixa de circular diariamente e passa a ser semanário em Porto Alegre - coletiva-metro

Metro deixa de circular diariamente na capital e toda equipe é desligada. Jornal passa a ter edição impressa apenas nos finais de semana

Da redação do portal especializado Coletiva.Net, com foto de Divulgação

A circulação diária do Metro Jornal em Porto Alegre tem data para se encerrar: 20 de dezembro será a última impressão dele nesta periodicidade. Após um recesso de final de ano, o jornal passará a ser físico apenas nos finais de semana, ou seja, sua distribuição acontecerá nas sextas-feiras. A primeira consequência do novo formato será a demissão de toda equipe da capital gaúcha a partir de 2 de janeiro, quando serão dispensados tanto os profissionais de Jornalismo, quanto do Comercial, que somam 10 colaboradores.

Esteve na sede da Band RS – grupo que detém os direitos do veículo internacional – o presidente do Metro Brasil, o jornalista Cláudio Bianchini. Ele se reuniu há pouco com toda a equipe e o presidente do Grupo Bandeirantes no Rio Grande do Sul, Leonardo Meneghetti. Segundo o executivo nacional, a decisão é reflexo de toda uma economia enfraquecida no mercado publicitário do Brasil. As praças locais mantinham um faturamento médio, a dificuldade maior se deu quando os grandes anunciantes nacionais deixaram de fazer sua “exportação”, que são os investimentos regionais, conforme explicou Bianchini aos colaboradores.

Além disso, a principal demanda de publicidade já estava concentrada nos finais de semana. Então, Porto Alegre seguirá  a mesma linha de demais praças como Rio de Janeiro, Brasília e Curitiba. Sobre os recursos humanos para seu funcionamento mais pontual, o executivo esclareceu que a empresa ainda está estudando o melhor formato, que poderá ser via contratação de freelancers – inclusive, não descartam a possibilidade de chamar estes mesmos profissionais atuais para colaborações semanais. O espaço físico ainda ocupado pelo Metro gaúcho será devolvido à Band RS, para a qual pagava um aluguel. As praças que seguirão com edições impressas diárias deverão ser São Paulo, ABC Paulista e Espírito Santo. Outra mudança será na tiragem, que de 30 mil exemplares, passará a ser de 20 mil nas sextas-feiras.

Conforme o editor-chefe do jornal, Maicon Bock, contou ao Coletiva.net, Bianchini afirmou que, mesmo não podendo mais manter a estrutura de hoje, tranquilizou a todos com relação aos seus direitos trabalhistas. “Particularmente, é um misto de sentimentos. Tristeza pelo veículo em si e pelo trabalho que vai findar. Por termos uma estrutura tão pequena, a relação entre nós sempre foi muito estreita”, lamentou. Por outro lado, garantiu ter a sensação de dever cumprido e, principalmente, gratidão por ter feito parte deste projeto desde a sua primeira edição, há oito anos. “O Metro nos proporcionou realizar um Jornalismo diferente, com capas históricas e matérias inesquecíveis”, afirmou.

Faziam parte da equipe de conteúdo os jornalistas André Mags, Mônica Kanitz, Valter Júnior e o estudante de Jornalismo Henrique Letti. A equipe do Comercial era comandada pelo publicitário Fábio Pinheiro.

Confira o comunicado oficial enviado pelo jornal:

Comunicado

O Metro Jornal comunica ao mercado que passará a ter apenas uma edição semanal, às sextas-feiras, em Porto Alegre, a partir de janeiro de 2020. O modelo entrará em linha com demais praças, como Rio de Janeiro, Brasília e Curitiba. A edição digital diária permanece em www.metrojornal.com.br.

Porto Alegre, 3 de dezembro de 2019

Metro Brasil

PARA LER A ÍNTEGRA, NO ORIGINAL, CLIQUE AQUI.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *